Como o Estado vai colocar pessoas na mobilidade e penalizá-las

Os funcionários públicos que estão em mobilidade especial vão passar a receber apenas metade do salário base que receberiam se estivessem no ativo. Atualmente a subvenção corresponde a 66%.

Na proposta que enviou aos sindicatos, e a que o Dinheiro Vivo teve acesso, o secretário de Estado da Administração Pública revê em baixa os valores pagos a quem está em situação de mobilidade especial nas fases de transição e compensação.

Tal como sucede atualmente, os funcionários públicos em Sistema de Mobilidade Especial mantêm o direito a receber os 100% do vencimento base nos primeiros dois meses de mobilidade. Passado este período, e durante 10 meses, começam a receber dois terços do salário, ou seja, 66,7%. Este valor representa um primeiro corte face ao que se passa atualmente, em que o trabalhador recebe 83%.

Quando entra na chamada fase de compensação (ao fim de um ano em  Sistema de Mobilidade Especial ) a subvenção sofre nova redução: atualmente o funcionários recebe 66% e passará a receber somente 50% do salário.

Esta medida formaliza as mudanças que o secretário de Estado Hélder Rosalino já tinha sinalizado, quando afirmou que o Governo iria reduzir os valores pagos ao pessoal em  Sistema de Mobilidade Especial .

Nesta proposta acentuam-se os mecanismos para a recolocação do pessoal em  Sistema de Mobilidade Especial  mas deixou de cair a menção expressa à possibilidade de os funcionários que recusem uma colocação ficarem um ano de licença sem vencimento.

A medida vai aplicar-se a partir de janeiro de 2012 e será discutida com os sindicatos da função pública numa reunião marcada para a próxima terça-feira

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 23:26 | comentar | favorito