Mais meia hora de trabalho por dia «promove desemprego»

O Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) entende que aumentar o horário diário de trabalho em mais meia hora promove o desemprego e classifica de falaciosos os argumentos utilizados pelo Governo para justificar esta medida.

Em comunicado divulgado esta quarta-feira, o STE afirma que o aumento do período normal de trabalho «é um modo de poder obrigar o trabalhador a exercer a sua actividade ao sábado (ou outro dia de descanso complementar que seja praticado), sem que haja qualquer acréscimo remuneratório».

O sindicato, liderado por Bettencourt Picanço entende, por isso, que os argumentos utilizados pelo Governo para justificar a aplicação desta medida extraordinária são «uma clara falácia».

«É óbvio que aumentar o horário de trabalho leva a uma menor necessidade de contratação de novos trabalhadores e é igualmente óbvio que a prestação de trabalho por trabalhadores aos quais não é garantido o direito ao repouso e à necessária compatibilização da vida profissional e familiar também não acarreta um aumento da produtividade», diz o STE.

Por outro lado, o sindicato considera que «esta proposta viola direitos constitucionalmente consagrados dos trabalhadores» e informa que já se pronunciou junto da Comissão Parlamentar de Segurança Social e Trabalho a este propósito.

O aumento da jornada diária em meia hora ou de duas horas e meia por semana, uma medida aprovada pelo Governo no final do ano passado e em discussão pública até dia 18 de Janeiro tem sido um tema fracturante entre o Executivo e os parceiros sociais - UGT e CGTP - que rejeitam qualquer tipo de acordo em sede de concertação social caso a proposta não seja retirada.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/ec

publicado por adm às 22:19 | comentar | favorito