Medidas de austeridade responsáveis pelo aumento dos preços

O Banco de Portugal espera que os preços no consumidor voltem a aumentar acima de três por cento este ano, em grande medida devido às sucessivas medidas de austeridade implementadas pelo Governo desde Agosto de 2011.

 

Nas projecções divulgadas esta terça-feira, a instituição liderada por Carlos Costa  projecta que a taxa de inflacção atinja os 3,2 por cento este ano, um abrandamento no seu crescimento face aos números estimados para 2011 (3,6 por cento). 

Destes 3,2 por cento, o Banco de Portugal estima que 1,8 pontos percentuais sejam influência das medidas de austeridade que têm vindo a ser implementadas,  entre as quais o aumento dos impostos indirectos e do ajustamento de alguns  preços, as medidas fiscais incluídas no Orçamento do Estado para 2012 -  em especial as mudanças nas tabelas do IVA, preços sujeitos a procedimentos  de natureza administrativa e impostos específicos sobre o consumo, como  os veículos e tabaco, e ainda os aumentos dos preços dos transportes em  Agosto de 2011 e do IVA sobre a electricidade e gás natural em Outubro do mesmo ano.  

"Estima-se que o contributo desde conjunto de medidas ascenda a 1,8  pontos percentuais em 2012", escreve o Banco de Portugal no seu Boletim Economico de Inverno, divulgado esta terça-feira.  

Para o próximo ano a inflacção já deve ter um crescimento mais controlado, após o forte crescimento de preços de 2011 e 2012, com a instituição a esperar que os preços cresçam 1 por cento.  

Este resultado é explicado com o efeito da dissipação destes aumentos de impostos e de preços e numa altura em que "passem a dominar os efeitos do abrandamento dos custos unitários de trabalho no sector privado e dos  preços das importações".

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/n


publicado por adm às 23:03 | comentar | favorito
tags: