30
Set 14

Preços da luz e do gás natural sem alterações até ao final do ano

As tarifas de electricidade e de gás natural para os consumidores que ainda estão no mercado regulado vão ficar inalteradas no último trimestre do ano, anunciou o regulador do mercado.

As chamadas tarifas transitórias, que são aplicadas aos clientes que ainda não passaram para o mercado liberalizado, não vão sofrer aumentos de preço neste último trimestre, esclarece o comunicado.

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) lembra que os clientes de energia têm até ao final de 2015 para mudarem para o mercado liberalizado. 

Para ajudar os consumidores, estão disponíveis no "site" da ERSE, novos simuladores de comparação de preços das ofertas de electricidade e gás natural, que existem no mercado.

fonte:http://rr.sapo.pt/i

publicado por adm às 22:57 | comentar | favorito

Famílias portuguesas estão mais poupadas

A taxa de poupança das famílias portuguesas aumentou no segundo trimestre de 2014 e representa, agora, 10,1% do rendimento disponível, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística. 

O INE indica ainda que a capacidade de financiamento das famílias também subiu, no mesmo período, para os 5,4% do PIB. 

Segundo as Contas Nacionais Trimestrais por Sector Institucional divulgadas esta terça-feira pelo INE, já com o novo Sistema Europeu de Contas (SEC2010), a taxa de poupança das famílias "fixou-se em 10,1% do rendimento disponível, superior aos 9,6% no ano terminado no trimestre anterior, "devido sobretudo ao aumento do rendimento disponível (variação de 1,3%)". 

O aumento do rendimento disponível foi determinado pelo aumento das remunerações e pelo saldo positivo dos rendimentos de propriedade, explica o INE. 

Por outro lado, a capacidade de financiamento da economia portuguesa aumentou para 1,6% do PIB no segundo trimestre do ano, mais 0,2 pontos percentuais do que no trimestre anterior.

fonte:http://rr.sapo.pt/in

publicado por adm às 22:57 | comentar | favorito
30
Set 14

Costa escolhe Ferro Rodrigues para líder parlamentar do PS

António Costa convidou o ex-secretário geral e atual vice-presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, para encabeçar a lista à liderança da bancada parlamentar do PS, que será votada sexta-feira. O "currículo político único" de Ferro Rodrigues foi a justificação dada pelo vencedor das primárias do PS de domingo para a sua escolha.

"É uma pessoa que foi secretário-geral do PS e tem um currículo político único. É um excelente sinal de que a sua liderança constituirá um grande reforço da qualidade da oposição do PS e da força do PS nesta alternativa de Governo", declarou António Costa aos jornalistas, esta terça-feira, à chegada á reunião da Assembleia Municipal de Lisboa, que decorre no Fórum Lisboa.

O ex-secretário-geral do PS Ferro Rodrigues aceitou já o convite do candidato socialista a primeiro-ministro para presidir ao Grupo Parlamentar do PS, refere um comunicado de António Costa.

"Ferro Rodrigues aceitou o convite de António Costa para ser o novo líder parlamentar do PS. Ferro Rodrigues irá agora elaborar a lista para a direção parlamentar", que será eleita na próxima sexta-feira.

No comunicado, salienta-se que António Costa "agradece a disponibilidade de Ferro Rodrigues, vice-presidente da Assembleia da República e antigo-secretário-geral do PS, para este desafio".

"É um sinal inequívoco do empenho de todos os socialistas no reforço da oposição e na construção de uma alternativa forte", acrescenta a mesma nota.

Na sequência da demissão de Alberto Martins do cargo de presidente, no domingo, após as eleições primárias que derrotaram António José Seguro, o Grupo Parlamentar vai eleger um novo líder na sexta-feira, segundo proposta de convocação apresentada pelo líder demissionário, Alberto Martins, que foi aprovada hoje de manhã por unanimidade.

O prazo para a entrega de listas termina na quinta-feira à tarde. Na votação, serão também escolhidos o Conselho de Administração e o Conselho Fiscal da nova bancada parlamentar do PS.

fonte-:http://www.jn.pt/P

publicado por adm às 22:55 | comentar | favorito
tags:
28
Set 14

Portugal é campeão europeu de ténis de mesa

Marcos Freitas, João Monteiro e Tiago Apolónia bateram a Alemanha.

Depois do quinto posto nos Jogos Olímpicos há dois anos, em Londres (derrota antes da meia-final frente à Coreia do Sul por 2-3), Marcos Freitas, João Monteiro e Tiago Apolónia  impuseram-se ante a Alemanha, hexacampeã europeia, por 3-1, sempre muito apoiados pelo público da MEO Arena. Desde 2006 que são profissionais de ténis de mesa no estrangeiro e a medalha de ouro no Europeu de equipas que ontem acabou em Lisboa é o melhor resultado de sempre para Portugal, após o bronze obtido em 2011.

Freitas venceu Steffen Mengel por triplo 11-8, João Monteiro cedeu face a Timo Boll com os parciais de 7-11, 1-11 e 8-11, Tiago Apolónia ganhou a Dimitrij Ovtcharov (11-7, 11-2, 11-13 e 11-9), cabendo a Marcos Freitas fechar com 12-10, 5-11, 11-6 e 11-9.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 21:32 | comentar | favorito
tags:
28
Set 14

Vendas de carros disparam, mas negócio está longe dos valores de 1999

A venda de automóveis até agosto disparou face a 2013, mas está muito longe dos valores atingidos em 1999. As empresas e rent-a-car representam a maior percentagem, por causa do turismo e renovação de frotas.

A venda de automóveis entre janeiro e agosto deste ano registou uma subida de 35,7% face a igual período do ano passado. Foi a maior subida da Europa, logo seguida pela Irlanda, que foi de 30,1%, de acordo com dados da Associação dos Construtores Automóveis Europeus (ACEA).

 

 

Mas, as pessoas não desataram a comprar carros. A maior fatia dessa percentagem corresponde à aquisição de automóveis por empresas ou rent-a-car, que "fizeram a renovação de frota, algo que já não faziam há algum tempo", explica o secretário-geral da ACAP, Hélder Pedro, acrescentando que "os consumidores privados só recentemente começam a ter algum peso nessa percentagem".

O secretário-geral da ANECRA, Neves da Silva, explica este crescimento "com o aumento do turismo nos últimos dois anos, e é fundamental para as empresas de rent-a-car ter frotas capazes de dar resposta, o que terá um peso de cerca de 25% no total das vendas, e, por outro lado, as empresas, que não faziam renovação de frota há mais de três anos".

Os dois responsáveis são unânimes ao dizer que esta subida é brutal, quando comparada com o ano anterior, ou mesmo 2012, mas é importante verificar a venda de automóveis teve uma quebra mais acentuada entre 1999 e 2012 [ver infográfico].

Neves da Silva refere ainda que "na Irlanda a quebra nas vendas também foi muito acentuada durante esta crise, daí o aumento brutal este ano". Acrescenta ainda que "em Espanha essa quebra não foi tão grande, porque o Governo decidiu manter as políticas de apoio a abate de veículos em fim de vida, o que suportou o mercado. A Alemanha terá tido uma queda de 1%, logo as subidas não serão grandes".

Em Portugal, os incentivos ao abate de veículos terminou em 2010, e, segundo Neves da Silva, o fim desse apoio "teve um impacto negativo nas vendas, mas também no ambiente e na sinistralidade".

"O parque automóvel em Portugal está envelhecido A idade média era de 8 anos em 2010, mas atualmente está nos 11,5 anos. Quando antes da crise se pensava em trocar de automóvel de cinco em cinco anos, agora é de 15 em 15".

Em termos ambientais, "os carros mais antigos são mais poluentes, e quanto à sinistralidade é notório que um carro velho não dá as mesmas garantias de segurança que um novo", sublinha.

Nos números das vendas de automóveis, Neves da Silva salienta que se deve contar também com as reexportações, isto é, com a venda para outros países, com mais poder económico, de automóveis que foram importados e que seriam inicialmente para vender em Portugal. "Os consórcios e vendedores, quando não os conseguem vender no nosso país, para assegurar a faturação e cumprir objetivos, preferem vender os carros, mesmo não sendo reembolsados pelos impostos. Perdem, mas ganham algum".

 

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 11:02 | comentar | favorito
27
Set 14
27
Set 14

PSD promete medidas pró-natalidade e "revolução" nos processos de adoção

O PSD comprometeu-se com a inclusão de medidas de apoio à natalidade no Orçamento do Estado para 2015 e anunciou a intenção de "introduzir uma revolução na burocracia dos processos de adoção".

Outra medida, ainda em estudo, com que o PSD pretende avançar é "recuperar a lei dos cônjuges" para que em carreiras como as dos professores, médicos ou magistrados haja uma "referência de conjugalidade como um elemento de ponderação na colocação".

Estas posições foram transmitidas aos jornalistas pela dirigente nacional e deputada social-democrata Teresa Leal Coelho, num hotel de Lisboa, onde decorria a reunião do Conselho Nacional do PSD, na qual foi debatido e aprovado o relatório "Por um Portugal amigo das crianças, das famílias e da natalidade", da responsabilidade do professor Joaquim Azevedo.

Com Joaquim Azevedo ao seu lado, Teresa Leal Coelho referiu que nesta reunião foi decidido mandatar a Comissão Permanente do PSD para, juntamente com o Grupo Parlamentar e os Autarcas Sociais Democrata, aprovar "políticas para a promoção da natalidade para as próximas décadas em Portugal", com base nas conclusões do referido relatório.

"Nós não vamos recuar neste tema", afirmou a vice-presidente do PSD, acrescentando que "em curto prazo" serão apresentadas "medidas e instrumentos jurídicos de promoção da natalidade", algumas das quais "para introduzir no próximo exercício orçamental", através da bancada social-democrata ou do Governo.

"Também o Governo fará o seu trabalho no âmbito da proposta de orçamento, e essa proposta de orçamento vai já acolher algumas das medidas. Aliás, o professor Joaquim Azevedo reuniu com a comissão para o IRS precisamente para no plano fiscal ter já alguma sensibilidade daquilo que podiam ser as medidas a incluir nas conclusões do relatório", mencionou.

Instada a dar exemplos de medidas em preparação, Teresa Leal Coelho respondeu: "Numa formulação que não está concluída, e que necessariamente é exigente do ponto de vista da sua conformidade com a Constituição, nós pretendemos recuperar a lei dos cônjuges para permitir que determinadas carreiras que são de colocação de âmbito nacional - como os professores, os médicos, os enfermeiros, os magistrados judiciais, os magistrados do Ministério Público, os oficiais de justiça - possam ver esta referência de conjugalidade como um elemento também de ponderação na colocação".

"No âmbito das crianças, nós pretendemos introduzir uma revolução naquilo que é a burocracia dos processos de adoção", adiantou. "Consideramos que há uma burocracia, uma dificuldade nos processos de adoção que muitas vezes afasta as pessoas que têm esse desejo".

Teresa Leal Coelho ressalvou que o PSD considera que a natalidade é "um tema transversal, que depende necessariamente de um consenso nacional" e continua a dialogar com parceiros sociais e atores políticos sobre esta matéria.

fonte:http://www.jn.pt/P

publicado por adm às 14:14 | comentar | favorito
22
Set 14
22
Set 14

Nova nota de 10 euros pode não funcionar em todos equipamentos

O Banco de Portugal revelou que nem todos os equipamentos de pagamento vão estar aptos para receber as novas notas de 10 euros, que entram em circulação na terça-feira na área do euro. 

"Não podemos garantir que todos os equipamentos estejam aptos a aceitar a nova nota de 10 euros já a partir de amanhã", terça-feira, afirmou o administrador do Banco de Portugal João Amaral Tomaz na conferência de imprensa da apresentação da nova nota de 10 euros. 

Na mesma conferência, Pedro Marques, director adjunto do departamento de emissão e tesouraria do Banco de Portugal, acrescentou que "o problema é que os equipamentos [de pagamento] são dos comerciantes ou das empresas que têm parques de estacionamento", pelo que "o Banco de Portugal não pode obrigar a que tenham máquinas de 'vending'". 

Questionado sobre o caso específico do pagamento das portagens, Pedro Marques disse que o Banco de Portugal “tem a indicação de que as máquinas vão estar preparadas para o pagamento com as novas notas” já na terça-feira.

Com a entrada em circulação da nova nota, os cidadãos podem continuar a utilizar a nota de 10 euros da primeira série, sem restrições. Em comunicado, o banco central recorda não ser necessário fazer qualquer troca e que ninguém está mandatado para as recolher em nome do Banco de Portugal ou de qualquer instituição bancária.

A nova nota pertence à série “Europa”. A primeira nota da série a entrar em circulação foi a nota de 5 euros, em Maio de 2013. Foram introduzidos novos elementos que as tornam mais seguras e resistentes à contrafacção.

fonte:http://rr.sapo.pt/i

publicado por adm às 23:01 | comentar | favorito