Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Noticias do momento

Noticias do momento

14
Abr14

90% dos pedidos de ajuda à Deco acabam em insolvência

adm

A maioria das famílias que pede ajuda à Deco já se encontra numa situação financeira tão degradada que têm de ser reencaminhadas para insolvência. Os dados da Defesa do Consumidor mostram que quase 90% das famílias já não podem ser ajudadas.

“São cada vez mais as famílias que nos chegam ao gabinete numa situação de incumprimento e dificuldade tão elevada que já não conseguimos fazer nada”, adiantou Natália Nunes, coordenadora do Gabinete de Apoio ao Sobreendividado (GAS), em declarações ao Dinheiro Vivo.

No primeiro trimestre, a Deco recebeu 7508 pedidos de ajuda mas apenas abriram 901 processos. A diferença entre pedidos de ajuda e processos está relacionada com a capacidade de ajuda da associação. Sempre que é feito o contacto é contabilizado o pedido, mas apenas é aberto um processo quando a associação verifica que consegue ajudar. Ou seja, apenas 12% dos pedidos de ajuda resultaram em abertura de processo. Questionada sobre o que acontece aos restantes 88%, Natália Nunes explicou que “se procura dar algumas informações, mas a maioria das vezes a única solução é reencaminhar os casos para insolvência”.

O desemprego, os cortes salariais, os aumentos de impostos, assim como a diminuição do rendimento disponível são as principais razões para a existência de cada vez mais famílias em dificuldade.

Famílias com elevada taxa de esforço

Um dos indicadores que demonstra o estado avançado de degradação das finanças das famílias que pedem ajuda é a taxa de esforço. Esta corresponde à percentagem dos rendimentos familiares que é destinada ao pagamento de prestações de créditos.

Segundo os dados da Deco, as famílias que pedem ajuda têm, em média, uma taxa de esforço de 76%. Isto quando, idealmente não deveria ultrapassar 40%.

Contas feitas, e tendo em conta que quem recorre à Deco tem, em média, um rendimento de 1100 euros, significa que deste valor 836 euros são para pagar empréstimos, sobrando apenas 264 euros para pagar o resto das contas, comer e viver.

Não é, por isso, de estranhar que haja um aumento do número de insolvências. Os últimos dados da Direção Geral de Política de Justiça mostram que os pedidos de insolvência dos particulares têm subido desde que começou a crise em 2007, já superando as falências das empresas.

Em 2007, do total de insolvências solicitadas 21,4% eram de particulares; no ano passado, a percentagem de particulares que solicitaram insolvência atingiu 67%, superando os 32,9% das empresas.

Como funciona o processo de insolvência

Pedir insolvência pessoal pode ocorrer quando os devedores não têm condições para pagar as suas dívidas, nem bens para entregar ao banco ou penhorar.

Depois de solicitar a abertura de um processo poderão existir duas soluções: um plano de pagamentos, prevendo as formas de liquidação dos créditos, o reescalonamento dos empréstimos e a sua calendarização; ou a exoneração do passivo, no qual há um perdão das dívidas e o devedor fica livre de pagamento de créditos nos cinco anos seguintes à declaração de insolvência. No entanto, neste caso, é definido pelo tribunal um montante que será o essencial para o dia-a-dia. O restante é para os credores.

Para uma família abrir um processo de insolvência não pode ter mais de 20 credores, o passivo não pode ultrapassar os 300 mil euros e não pode ter dívidas laborais. Caso não tenha capacidade para pagar um advogado, o devedor pode solicitar apoio jurídico junto da Segurança Social.

 

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

13
Abr14

Filas e muita polémica na venda de bilhetes do Benfica-Olhanense

adm

O facto de esse poder ser o "jogo do título", caso o Benfica vença hoje o Arouca e, na próxima semana, o Olhanense, está a levar a uma verdadeira corrida aos bilhetes. Para além das longas filas na bilheteira do Estádio da Luz, está também a haver polémica e muitos protestos, devido ao "racionamento" de bilhetes.

De hoje a terça-feira, só há bilhetes para sócios, e cada sócio só pode comprar um bilhete e de forma presencial (ou seja, não pode dar o cartão de sócio a alguém para ir à bilheteira). Para além disso, o Benfica não está a permitir que os associados que pagam as quotas por débito directo possam utilizar os bilhetes grátis que ainda têm direito, e que são válidos em todos os jogos menos na última jornada e nos jogos com o Sporting e o FC Porto. Ou seja, apesar de tecnicamente as regras permitirem a utilização desses bilhetes grátis - esta é a penúltima jornada na Luz e não a última - a direcção do Benfica terá decidido não permitir essa possibilidade, de acordo com esclarecimentos dados na própria bilheteira.

Em resultado disto, várias dezenas de pessoas pediram o livro de reclamações, com o ambiente a aquecer devido aos protestos.
Sobrando bilhetes desta primeira fase, a venda é alargada na quarta-feira a sócios das Casas do Benfica, e só a partir de quinta-feira haverá venda ao público em geral, caso sobrem ingressos.

fonte:http://economico.sapo.pt/n

13
Abr14

Benfica à beira do título

adm

O Benfica derrotou o Arouca por 2-0 em jogo relativo à 27ª jornada da Liga Zon Sagres. Com este resultado, a equipa da Luz fica a uma vitória da conquista do 33º título no campeonato.

A jogar num Estádio de Aveiro com esmagadora maioria de público benfiquista, o Benfica apresentou-se sem Luisão e Fejsa, ocupando Jardel e André Almeida essas vagas. O começo dos líderes da Liga não foi tão dinâmico como é habitual e o Arouca tirou partido para ir colocando dificuldades.

Mesmo assim, Rodrigo testou Cássio logo nos primeiros minutos, mas Bruno Amaro também forçou Oblak a intervenção difícil num livre. A meio do primeiro tempo, Maxi Pereira espreitou o golo, mais tarde foi Lima quem não superou Cássio e Rodrigo, na recarga, atirou para fora. Bem organizada, a equipa de Pedro Emanuel não deixou de ripostar e, a sete minutos do intervalo, após saída de Oblak ao limite da grande área, um chapéu largo de Bruno Amaro só não resultou em golo por causa de um espectacular corte de carrinho efectuado por Maxi Pereira.

E, quando já se jogavam dois minutos de compensação, Lima centrou da direita, Cássio não interceptou, Baliu também não, surgindo Rodrigo na pequena área a tocar com o pé esquerdo para a vantagem lisboeta. Na celebração, o avançado correu para o banco e foi buscar uma camisola de Sílvio para dedicar o golo ao lateral, operado após fractura da perna direita.

Na segunda parte, os visitantes não tardaram a ampliar a vantagem, depois de Markovic serpentear pelo meio da defesa, tocar para Gaitán e este, à saída de Cássio, picou de modo sobre o guardião com o pé esquerdo (54 m). Logo a seguir, com idênticos protagonistas, o remate rasteiro do argentino foi detido pelo guarda-redes. Como reacção, Pedro Emanuel trocou Ceballos por Serginho, embora sem resultados práticos, pois o adversário continuou a dominar sem restrições.

Aos 65 minutos, na sequência de um livre, Oblak voou para socar a bola, chocou de forma violenta com Roberto e, mesmo após receber assistência, saiu atordoado, rendido por Artur ao mesmo tempo que Lassad substituía Bruno Amaro. Pouco depois, Rodrigo tocou para Maxi Pereira no interior da área, este passou a Gaitán, o sul-americano rodou e atirou com o pé esquerdo, mas Cássio desviou para canto.

À entrada para o último quarto-de-hora, Roberto foi trocado por André Claro e Salvio rendeu Rodrigo que saiu sob fortes aplausos. A 10 minutos do fim, Markovic deu lugar a Cardozo e o Benfica passou a gerir a bola sem dificuldades, ficando Lima perto do 3-0 num remate de fora da área que Cássio repeliu.

Outros resultados: Sporting-Gil Vicente, 2-0; Nacional-Marítimo, 2-0; Rio Ave-Olhanense, 1-2; Belenenses-Guimarães, 3-1 e Académica-Setúbal, 1-1. O Braga-Porto inicia-se dentro de momentos e amanhã joga-se o Estoril-P. Ferreira (20h00). A próxima ronda engloba os seguintes encontros: Guimarães-Arouca (20h00, sexta-feira); Marítimo-Académica e P. Ferreira-Nacional (ambos às 16h00), Gil Vicente-Estoril (17h00) e Belenenses-Sporting (19h15, todos no sábado); Benfica-Olhanense (18h00, domingo); Setúbal-Braga (18h00) e Porto-Rio Ave (20h00), ambos na segunda-feira.

 

fonte:http://economico.sapo.pt/n

11
Abr14

Problemas de origem levam cada vez mais carros novos à oficina

adm

Comprar um carro novo e, passados alguns meses, a marca recolher a viatura para resolver um problema. Vai acontecer a quase seis milhões e meio de automóveis da Toyota, 13 mil em Portugal, e a 500 mil da BMW, nos Estados Unidos e na China.

Esta semana, as duas construtoras identificaram problemas em alguns modelos das suas marcas. A japonesa detectou cinco problemas técnicos, que afectam 26 modelos automóveis. Já a alemã detectou um problema num parafuso que pode provocar a perda de potência nos motores de seis cilindros.

Situações destas não são novas: com cada vez maior frequência, há carros novos a ser chamados à oficina para resolver problemas de origem, dizem especialistas.

"O problema que se põe aqui é que os modelos, face à concorrência que têm, saem muito rapidamente das fábricas e, às vezes, há pequenos pormenores que ficam por testar a 300%", explica à Renascença o presidente da Automóvel Club de Portugal (ACP), Carlos Barbosa. "Mas, os grandes itens de segurança, são completamente operacionais e sem qualquer espécie de problema", assegura.

Para o presidente da ACP, a evolução técnica no sector automóvel leva a que estes problemas aconteçam mais vezes.

"Os carros têm cada vez mais electrónica dentro dos seus motores e dos seus habitáculos e é evidente que podem avariar mais do que os carros antigos, que não tinham nada disso", sustenta.

Consumidores atentos
Já para o director do Cepra – Centro de Formação Profissional da Reparação Automóvel, António Caldeira, estas chamadas à oficina estão relacionadas com "a atenção que os consumidores, nomeadamente através das várias associações, dão a determinada marca".

"O que em determinados modelos ou marcas nem sequer é relevado, noutras toma grande proporção", diz o especialista.

Voltando ao exemplo da Toyota, Caldeira explica que, em Portugal, "nunca foi reportado qualquer problema com os modelos em questão, sendo até provável que nunca viesse a ser reportado”.

Ainda assim, as "marcas, mesmo que se trate de um defeito apenas reportado por uma vez, preferem extrapolar a sua ocorrência a todos os carros vendidos".

"O aspecto positivo é que os consumidores ficam a saber que a preocupação dos fabricantes com as questões da segurança se sobrepõe à publicidade negativa que têm de enfrentar", remata.

 

fonte:http://rr.sapo.pt/in

10
Abr14

Benfica em frente, FC Porto fica pelo caminho

adm

Benfica e FC Porto traziam dos jogos da primeira-mão dos quartos de final da Liga Europa vantagens curtas (1-0). Porém os encarnados conseguiram segurá-la ao vencerem, no Estádio da Luz o AZ Alkmaar por 2-0, ao passo que o FC Porto foi surpreendido em Sevilha ao perder por 4-1.

Rodrigo marcou aos 39 minutos e repetiu a dose aos 72, fechando o resultado do jogo em 2-0 no Estádio da Luz diante do Az Alkmaar.

Já o FC Porto foi vítima de uma meia hora infernal do Sevilha que culminou com três golos de rajada. Primeiro foi Rakitic (5’), numa grande penalidade duvidosa, depois Vitolo (26’) e Bacca (29’). Na segunda parte, o peso do resultado aumentou com um golo de Kevin Gameiro (79'). Quaresma diminiu a desvantagem para lá do minuto 90.

Esta sexta-feira, os encarnados conhecerão o seu adversário das meias-finais da Liga Europa, a partir do meio dia, hora em que tem início o sorteio da competição em Nyon, Suíça.

fonte:http://desporto.sapo.pt/fu

10
Abr14

Medicamento à venda nas farmácias pode ser perigoso

adm

Portugal, em conjunto com outros países da Europa, está a acompanhar o caso de possíveis reações adversas a um medicamento para a esquizofrenia, mas o mesmo continua à venda.

O medicamento em causa, Xeplion, pode ter causado até 17 mortes no Japão desde novembro do ano passado, informou esta quinta-feira a unidade japonesa da farmacêutica internacional Janssen Pharmaceuticals.

Contactada pela agência Lusa a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) disse ter sido notificada de uma reação adversa ocorrida em Portugal com a substância ativa, em 2013, durante um ensaio clínico (manifestada através do agravamento da doença).

"O Infarmed e as restantes agências europeias encontram-se, em articulação com a EMA (Agência Europeia do Medicamento), a acompanhar este caso, mas ainda não temos informação adicional a transmitir".

O medicamento, segundo dados do Infarmed, foi aprovado pela Comissão Europeia a 4 de março de 2011 e está a ser comercializado em Portugal desde 1 de fevereiro deste ano, em dosagens de 75, 100 e 150 miligramas.

A Janssen Pharmaceuticals, uma filial do grupo norte-americano Johnson and Johnson, aconselhou os médicos japoneses a usarem o medicamento com muita prudência, apesar de não estar comprovada a ligação do Xeplion às mortes.

Segundo as estimativas da unidade japonesa da Janssen Pharmaceuticals, o medicamento terá sido usado por cerca 10.700 pessoas desde o seu lançamento no mercado nipónico a 19 de novembro do ano passado.

As causas das 17 mortes registadas incluem ataque cardíaco, embolia pulmonar e asfixia por inalação de vómito.

Em muitos destes casos, os óbitos verificaram-se cerca de 40 dias após terem sido administradas injeções do medicamento.

Numa nota informativa divulgada na página online da unidade nipónica da Janssen Pharmaceuticals, a farmacêutica indica que a "substância pode permanecer no organismo até pelo menos quatro meses após ter sido administrada", aconselhando os médicos a ficarem atentos a qualquer efeito colateral.

 

fonte:http://www.jn.pt/P

10
Abr14

A partir de hoje é proibido vender termómetros de mercúrio em toda a Europa

adm

Os termómetros de mercúrio deixam a partir de hoje de ser vendidos na União Europeia.

A proibição estende-se a outros dispositos que contenham mercúrio e estejam destinados a uso industrial, depois da entrada em vigor de um regulamento da Comissão Europeia aprovado em setembro de 2012. A decisão visa garantir a segurança em termos de saúde humana e meio ambiente, já que o mercúrio apresenta riscos, existindo equipamentos de medição alternativos.

No passado mês de outubro, a Organização Mundial de Saúde e a coligação "Saúde sem Danos", formada por mais de 470 entidades de 50 países, lançaram a iniciativa "Saúde sem Mercúrio em 2020". A iniciativa visa a eliminação de todos os termómetros e medidores de tensão que contenham este elemento químico.

O movimento surgiu após 140 países terem assinado no Japão a Convenção de Mimata, o primeiro acordo internacional para reduzir o uso e comercialização do mercúrio. O acordo, assinado em outubro passado, foi buscar o nome à cidade japonesa de Mimata que nos anos 50 sofreu os efeitos da contaminação das suas águas por mercúrio após o derrame de uma fábrica petroquímica.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/Ec

10
Abr14

Quatro em cada 10 portugueses vão gozar férias nesta Páscoa

adm

Quatro em cada 10 portugueses (40%) preveem gozar férias durante o período de Páscoa contra seis que vão ficar em casa, revela um inquérito realizado pelo IPDT – Instituto de Turismo na sua página oficial do Facebook, entre os dias 18 de março e 4 de abril de 2014.
A maioria (41,2%) dos portugueses que não vai fazer férias fora do local de residência na Páscoa, justifica-o com o facto de não ter por hábito gozar férias neste período do ano, enquanto 20% do total de inquiridos que não preveem fazer férias neste período afirmam que não o faz por "impossibilidade financeira, desemprego ou precariedade laboral".

Este valor representa um aumento de 3,2% no número de portugueses que deixa de fazer férias por questões financeiras, face ao período homólogo. Segundo o IPDT, este crescimento é inferior ao registado em anos anteriores (na comparação de 2012 com 2013 aumentou 4,1%).

Dos quase 40% que vão fazer férias na Páscoa, 30% escolhe o território nacional e 9% o estrangeiro. Dos que ficam em Portugal, 16,6% vão passar uma ou mais noites em lazer e 13,3% estarão em visita a familiares e amigos.

 

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/E

10
Abr14

Saiba quais as 10 marcas mais valiosas da Europa

adm

A H&M é a mais valiosa da Europa, 13.194 mil milhões de euros, seguida pela IKEA e a Zara. A Interbrand acaba de lançar o quarto relatório anual das mais valiosas marcas de retalho. Conheça o top 10.

1 - H&M
2 - Ikea
3 - Zara
4 - carrefour
5 - Tesco
6 - M&s
7 - Auschan
8 - Boots
9 - Aldi
10 - Sephora

 

fonte:http://economico.sapo.pt/

10
Abr14

Preço das habitações em Portugal cai 0,6%

adm

Face ao trimestre anterior o preço das casas subiu 1,4%. A maior redução em 2013 face a 2012 ocorreu no primeiro trimestre, onde a quebra foi de 7,3%, segundo dados do Eurostat.

 

O preço das habitações em Portugal caiu 0,6% no quarto trimestre do ano passado em comparação com o mesmo período de 2012, segundo dados do Eurostat hoje divulgados. Contudo, esta foi a menor quebra registada em 2013 e representou um aumento de 1,4% face ao trimestre anterior.

A maior redução face ao homólogo, em Portugal, foi no primeiro trimestre de 2013, altura em que o preço das casas caiu 7,3% face a 2012. No segundo trimestre a redução foi de 4,3% e no terceiro de 2,9%.

Já na zona Euro, o preço das casas caiu 1,4% no último trimestre em comparação com o trimestre anterior. Na União Europeia caiu 0,1% nesse mesmo período e nos países da moeda única a redução foi de 0,7%. Já entre os 28 Estados-membro a quebra foi de 0,3%.

As maiores quedas verificaram-se na Croácia (-14,4%), Chipre (-9,4%) e Espanha (-6,3%), enquanto as maiores subidas se registaram na Estónia (15,6%), na Letónia (7,9%) e na Suécia (7%) face ao quarto trimestre de 2012.

 fonte:http://economico.sapo.pt/

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D