11
Fev 14

Benfica TV tem mais de 300 mil assinantes

Sete meses depois de arrancar com as suas emissões como canal “Premium”, a Benfica TV já ultrapassou os 300 mil subscritores, refere em comunicado citado pelo jornal “Record”.

“O único canal de clube a nível mundial a gerir os seus próprios direitos televisivos conseguiu superar as melhores expectativas. São já 307.872 os subscritores com acesso àBenfica TV registados até ao dia de hoje”, diz o comunicado divulgado esta segunda-feira pela estação televisiva.

 

A história que começou há cinco anos, com emissões regulares desde 10 de Dezembro de 2008, e que teve a Benfica TV como canal fundador da MEO, passou a canal Premium, por subscrição, no dia 1 de Julho de 2013, ganhando novas plataformas de distribuição, recorda o documento, sublinhando também que a Benfica TV oferece igualmente em exclusivo os jogos da Barclays Premier League.

 

Além disso, “existem ainda outros conteúdos exclusivos com o selo ecléctico do Sport Lisboa e Benfica: Equipa B, Juniores e restantes escalões do futebol de formação, Modalidades de Andebol, Basquetebol, Futsal, Hóquei em Patins e Voleibol. Tudo em HD, a partir dos diversos campos e pavilhões do Clube”, frisa o comunicado da Benfica TV, que conclui agradecendo a todos.

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/e

publicado por adm às 22:40 | comentar | favorito

Benfica derrota Sporting

Gaitán e Pérez marcaram os golos do derby.

O Benfica impôs-se ao Sporting por 2-0 no fecho da 18ª jornada da Liga Zon Sagres com golos obtidos por Nico Gaitán e Enzo Pérez, mantendo o comando da classificação com quatro pontos de vantagem sobre o Porto e cinco face ao adversário na Luz.

Depois do adiamento e das polémicas a propósito da cobertura do Estádio da Luz, o derby concretizou-se com os pressupostos definidos pelos técnicos para o passado domingo, isto é, duas equipas organizadas em 4x4x2.

O Benfica entrou com maior dinâmica no ataque, cabendo ao Sporting uma atitude mais expectante, embora aos poucos o jogo tendesse para o equilíbrio. Mais rematadores, mas inconsequentes, os benfiquistas viam o adversário buscar combinações entre Montero e Slimani para ganhar espaços na área ou aproveitar investidas com Heldon mais disponível para criar desequilíbrios. Os visitantes não disfarçavam, contudo, o incómodo com a ausência de William Carvalho e, pelo tempo fora, também a falta de Jefferson seria demasiado evidente perante a actuação desinspirada de Piris.

Em busca do golo, Luisão esteve perto num desvio após pontapé de canto à passagem dos 23 minutos. Aos 25, Rodrigo rompeu pelo meio e o ressalto da tentativa de corte do defesa resultou num remate que Patrício desviou por cima da barra. Porém, apenas minuto e meio mais tarde, Fejsa recuperou a bola sobre o meio-campo do lado direito, libertou Maxi que, depois de tirar partido de queda de Piris, centrou para a área, Gaitán surgiu em velocidade a cabecear, fez a bola passar por entre as pernas do guarda-redes e inaugurou o marcador.  

A equipa de Leonardo Jardim oscilou, demorou a reagir, mas só a seis minutos do intervalo o Benfica voltou a ameaçar a baliza de Rui Patrício: passe longo de Garay para Gaitán, este dominou com o peito, entrou na área e, à saída do guardião, atirou ao lado com o pé esquerdo. A velocidade benfiquista criava embaraços ao opositor que revelava inadaptação à estratégia.

Na segunda parte, Rodrigo espreitou o 2-0 após soberbo passe de Markovic, mas os sportinguistas, sempre com Heldon mais inconformado, foram ganhando livres nas imediações da área. Pouco depois da hora de jogo, Jardim trocou André Martins por Capel e Heldon voltou a ser perigoso, mas rematou sem pontaria.

Rodrigo testou Patrício e Jardim tornou a mexer, retirou Piris, colocou Magrão (71 m), recuando Dier para central, enquanto Rojo passava para defesa-esquerdo. Contudo, depois de Patrício deter nova iniciativa de Rodrigo, um lance notável de Enzo Pérez culminou com remate de pé esquerdo, de fora da área, para o 2-0 (76 m).

Jesus rendeu Rodrigo por Ruben Amorim (78 m) e passou a actuar em controlo, respondendo Jardim com a saída de Slimani para a entrada de Carlos Mané a 10 minutos do fim. Nos últimos minutos, Jesus apostou em Cardozo (saiu, a quatro minutos do final, o ovacionado Pérez após actuação de óptimo nível) sem que houvesse mais mexidas no resultado.

 

 

fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 22:27 | comentar | favorito

PS propõe reposição do horário de trabalho de 35 horas semanais na nova Lei Geral

O PS propôs, esta terça-feira, a reposição do horário de trabalho no Estado para sete horas por dia e 35 horas por semana, no âmbito da discussão e votação na especialidade da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas.

Esta posição do PS foi defendida pela deputada socialista Isabel Santos, no âmbito da discussão e votação na especialidade da nova legislação laboral no Estado e consta de uma proposta de alteração do partido à proposta de lei do Governo n.º184/XII.

A proposta do PS propõe a alteração do artigo n.º41-A, e advoga que "o período normal de trabalho dos trabalhadores em funções públicas é de sete horas por dia e trinta e cinco horas por semana".

"Trata-se de uma proposta de grande relevância. Todos sabemos que esta amputação do horário de trabalho para 40 horas faz baixar o valor do trabalho por hora e até hoje não se percebeu qual o lucro obtido com esta alteração em termos de produtividade", afirmou Isabel Santos no parlamento.

A deputada socialista apelou "à ponderação da maioria" na votação desta proposta de alteração do PS, que mereceu o apoio da oposição.

No entanto, esta acabou por ser rejeitada com os votos contra da maioria PSD e CDS, apesar dos votos favoráveis do PS, Bloco de Esquerda (BE) e PCP.

Desde 28 de setembro, os funcionários públicos passaram a ter de trabalhar mais uma hora por dia, num total de 40 horas por semana, ao abrigo da nova lei em vigor.

De acordo com as novas regras, o horário de trabalho dos trabalhadores do Estado passou de sete para oito horas por dia e de 35 para 40 horas por semana.

O novo diploma, publicado a 29 de agosto em Diário da República, estabelece que o alargamento do horário de trabalho "tem natureza imperativa e prevalece sobre quaisquer leis especiais e instrumentos de regulamentação coletiva de trabalho".

O período de atendimento ao público dos serviços passa a ter a duração mínima de oito horas diárias, a abranger o período da manhã e da tarde e a ser obrigatoriamente afixado, de modo visível ao público, nos locais de atendimento, com as horas do seu início e do seu termo.

Ainda de acordo com as novas regras, o regime de banco de horas pode ser instituído por acordo entre a entidade empregadora pública e o trabalhador, podendo, neste caso, o período normal de trabalho ser aumentado até duas horas diárias e atingir cinquenta horas semanais, tendo o acréscimo por limite cento e cinquenta horas por ano.

A proposta de lei foi aprovada pela maioria parlamentar a 29 de julho e posteriormente promulgada pelo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

Os sindicatos e os partidos da oposição consideraram o diploma inconstitucional por violar o artigo da Constituição que garante a remuneração do trabalho, uma vez que a nova lei obriga a mais uma hora de trabalho por dia, sem remuneração acrescida.

A lei das 40 horas na administração pública tem sido alvo de vários processos por parte dos sindicatos na tentativa de travar a sua entrada em vigor. Antes desses processos já havia sido entregue no Tribunal Constitucional, por parte dos partidos da oposição, um pedido de fiscalização sucessiva da constitucionalidade da lei.

A intenção do Governo é que esta regra seja introduzida na nova Lei Geral do Trabalho da Função Pública, agora em discussão.

 

fonte:http://www.jn.pt/

publicado por adm às 22:24 | comentar | favorito
11
Fev 14

António Capucho expulso do PSD

O Conselho de Jurisdição Nacional do PSD aprovou, esta terça-feira, a expulsão do militante histórico social-democrata António Capucho, devido à sua candidatura autárquica em lista adversária do partido em 2013.

Contactado pela agência Lusa, João Calvão da Silva, presidente deste órgão partidário, disse que na reunião desta terça-feira do Conselho de Jurisdição Nacional do PSD foram apreciados os casos de militantes que integraram listas adversárias do partido em Cascais e Sintra, entre os quais António Capucho, "confirmando-se a declaração da cessação da inscrição" desses militantes.

FONTE:http://www.jn.pt/

publicado por adm às 22:23 | comentar | favorito
tags:
09
Fev 14

GNR fiscaliza veículos pesados na próxima semana

A GNR anunciou este domingo uma operação de "fiscalização intensiva" de veículos pesados de mercadorias e passageiros entre segunda-feira e domingo, envolvendo 4.213 militares nas vias com maior trânsito deste tipo.

A operação incide em 1.700 operações em locais onde existem indícios da prática de ilícitos de natureza criminal e será desenvolvida por elementos da Unidade Nacional de Trânsito, do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente e da Unidade de Açcão Fiscal.

Em foco estarão o controlo do peso e dos tacógrafos (instrumentos que registam os tempos de condução), a verificação do acondicionamento da carga, as condições técnicas dos veículo, o controlo do álcool e a deteção de infracções de natureza fiscal, aduaneira e ambiental, afirma a GNR em comunicado.

"Algumas acções de fiscalização vão ser realizadas em conjunto com a Guarda Civil espanhola nas principais fronteiras terrestres", como Valença, Quintanilha, Vilar Formoso, Caia e Vila Real de Santo António, acrescenta-se no documento.

A operação enquadra-se no plano definido pela European Traffic Police NetWork (TISPOL), organismo que congrega todas as polícias de trânsito da Europa, bem como pelo Euro Controle Route (ECR), um grupo de serviços de controlo das estradas europeias cujo objetivo é melhorar a segurança rodoviária, informou a GNR.

fonte:http://rr.sapo.pt/

publicado por adm às 20:10 | comentar | favorito
tags:

Suíços aprovam quotas de imigrantes

Os suíços aprovaram este domingo em referendo a introdução de quotas para imigrantes europeus, que devem aplicar-se daqui a três anos. A votação foi renhida, mas o sim ganhou por umas décimas de vantagem (50,3%).

Proposta pelo Partido de extrema-direita, a União Democrática do Centro (UDC), também restabelece o princípio da preferência pelo trabalhador nacional face ao estrangeiro, que se encontrava abolida para todos os trabalhadores oriundos de algum dos países da União Europeia.

A nova legislação pode trazer problemas para os emigrantes portugueses que estão no país mas que ainda não tenham autorização de residência permanente.

fonte:http://rr.sapo.pt/

publicado por adm às 20:09 | comentar | favorito
09
Fev 14

Seguro defende "gestão global" da costa para travar avanço do mar

O secretário-geral do PS, António José Seguro, defendeu este domingo uma "gestão global" da costa para impedir o avanço do mar e evitar o desaparecimento de algumas praias.

Durante uma visita à praia do Pedrógão, no concelho de Leiria, António José Seguro considerou que uma "gestão global da costa é a intervenção que deve presidir a qualquer outra de natureza mais imediata ou localizada".

O líder socialista recordou que o areal tem vindo a "minguar" ao longo destes últimos anos "em função de se ter alargado o molhe na Figueira da Foz".

Para António José Seguro, não pode haver "apenas intervenções pontuais ou regionais", porque "cada intervenção tem uma implicação positiva num local", mas também "tem implicações negativas noutros locais".

"Uma monitorização e gestão globais" é o caminho defendido pelo socialista, que considerou que qualquer intervenção tem de estar inserida "num modelo coerente de gestão da costa, onde não se tape de um lado e se destape do outro", salientou.

António José Seguro entende que o "Governo anda um pouco às aranhas nesta questão, como noutras".

"Em 2012, houve uma revisão do plano de ação e valorização da nossa costa, que o atual ministro já veio dizer que era preciso rever a estratégia. Fala-se em milhões, mas depois pede-se às câmaras que sejam elas a substituir o Governo numa função imediata", criticou.

O socialista exemplificou com a medida tomada pela Câmara de Leiria, que tem descarregado areias na praia do Pedrógão para evitar o avanço do mar.

António José Seguro admitiu que a construção do molhe no porto da Figueira da Foz teve "efeitos negativos", porque "a sedimentação fica na zona da Figueira da Foz e causa problemas não só nas praias a sul, como na própria entrada e saída das embarcações piscatórias da Figueira da Foz".

Esta foi uma obra autorizada durante o Governo de gestão socialista. António José Seguro considerou que "o importante é olhar para os problemas e encontrar soluções". "Se passamos a vida a distribuir culpas uns pelos outros chegamos à conclusão que todos têm responsabilidades. Basta de olhar para o passado. É necessário olhar para o que está, corrigir e intervir, mas de uma forma coerente", frisou.

O líder socialista apelou ainda para a "ação estrutural" que tem de avançar, de modo permitir que Portugal "conserve os areais e as praias com qualidade para continuar a atrair turistas".

Na terça-feira, a Câmara de Leiria deliberou avançar com uma intervenção de emergência na praia do Pedrógão, onde a forte agitação marítima tem provocado danos, respondendo à solicitação da APA.

Numa nota de imprensa, o município, que desde janeiro já colocou mais de 50 mil metros cúbicos de areia na praia para travar o avanço do mar, informa que a autarquia "será ressarcida do custo da empreitada, bem como do valor que resulta dos trabalhos de reposição".

Segundo informação do município, "nos últimos anos, a praia do Pedrógão tem sofrido um processo de erosão costeira", situação que coloca "em perigo iminente todas as infraestruturas adjacentes à marginal, assim como o cordão dunar".

"Em 19 de setembro de 2013 a ondulação de cerca de quatro metros de altura destruiu toda a zona da passagem de emergência, assim como descalçou o muro da rotunda, encontrando-se toda a zona instável", refere o município, acrescentando que, em janeiro, "o cenário agravou-se, fruto das condições do estado do mar particularmente violentas".

 

fonte:http://www.jn.pt/

publicado por adm às 20:06 | comentar | favorito
04
Fev 14
04
Fev 14

PS responsabiliza Passos pelo caso da venda dos quadros de Miró

O PS considerou esta terça-feira que a leiloeira Christie's demonstrou ser mais sensata do que o Governo ao travar a venda das obras de Miró e sustentou que o primeiro-ministro é o principal responsável por este caso.

"A Christie's demonstrou ser mais sensata do que o Governo. Verificamos com pesar a irrelevância do cargo de secretário de Estado da Cultura e é ao primeiro-ministro (Pedro Passos Coelho) que temos de pedir contas", declarou a deputada socialista Gabriela Canavilhas em conferência de Imprensa na Assembleia da República.

Em comunicado, a Christie's disse que o cancelamento do leilão dos 85 quadros de Joan Miró provenientes do extinto Banco Português de Negócios (BPN) resulta "da disputa nos tribunais portugueses", na qual "não é parte interessada".

Interrogada se o PS pede a demissão de Barreto Xavier do cargo de secretário de Estado da Cultura, Gabriela Canavilhas referiu primeiro que a cultura teve um ministério autónomo com os governos socialistas.

"É com pesar que constatamos a irrelevância do cargo de secretário de Estado. Na verdade, quem tutela a cultura é o primeiro-ministro, que é o responsável último por todas as irregularidades neste triste processo. É a ele que devemos também pedir contas", respondeu a deputada do PS.

Questionada se o PS encara como uma vitória a decisão da Christie's em relação aos quadros de Joan Miró, Gabriela Canavilhas contrapôs que os socialistas "têm a sensação do dever cumprido".

"Claramente, ficou comprovado que a venda destas obras, nestas condições e com os procedimentos conhecidos, seria irregular, ilegal e iria lesar o interesse público", declarou.

Numa conferência de imprensa em que se encontrava acompanhada pelos deputados socialistas que requereram a providência cautelar contra a venda das obras de Miró (Pedro Delgado Alves, Inês de Medeiros, José Magalhães e Vitalino Canas), a ex-ministra da Cultura disse que a decisão da Christie's "deu razão ao PS quando interpelou o Estado, o Governo e o Ministério Público".

"As nossas preocupações tinham fundamento, o que foi comprovado pela sentença do tribunal", advogou Gabriela Canavilhas, acusando, depois, o secretário de Estado Barreto Xavier de ter feito um despacho "que revela a ilegalidade da transferência das obras para Londres".

"Todo este processo está inquinado de irregularidades e tinha de ser travado. O interesse público acabou por ser salvaguardado", acrescentou a deputada do PS.

Já sobre as críticas do PSD ao PS neste processo, Gabriela Canavilhas disse que os socialistas fazem a diferença ao reconhecerem "valores para além da mera contabilidade".

"Valorizamos outros parâmetros essenciais para a nossa identidade. Essa é uma diferença importante que nos distingue", referiu a ex-ministra socialista.

 

fonte:http://www.jn.pt/Pa

publicado por adm às 21:16 | comentar | favorito
03
Fev 14
03
Fev 14

Venda de automóveis aumenta 32% em Janeiro

Marcas alemãs foram as que registaram maiores crescimentos nos ligeiros de passageiros, face a Janeiro de 2013.

O número de automóveis vendidos em Portugal continua a aumentar. No primeiro mês do ano venderam-se em Portugal 10.899 viaturas, um crescimento de 31,9% em relação ao mês homólogo de 2013, divulgou hoje a Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

De acordo com a associação, apesar deste aumento o volume vendido em Janeiro foi o terceiro mais baixo por mês ao longo dos últimos 15 anos.

Todas as categorias registaram progressos. O maior crescimento verificou-se entre os veículos ligeiros de passageiros, com as vendas a progredir 31,8% para 9.255 viaturas. O número de comerciais ligeiros transaccionados cresceu 29,2% e venderam-se 326 veículos pesados (+ 46,2%).

Entre os ligeiros de passageiros, as marcas alemãs foram as que registaram maiores crescimentos, com destaque para a BMW, a Mercedes e a Volkswagen, que cresceram entre os 39% e os 57% (no total, mais 879 viaturas que em Janeiro de 2012), seguidas da Peugeot e da Renault.

Já estas duas últimas marcas, juntamente com a Dacia, registaram os maiores progressos entre os comerciais ligeiros. A MAN e a Mercedes foram as que mais acrescentaram em vendas nos pesados, tendo a Volvo vendido menos 43% de viaturas no primeiro mês.

 fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 22:35 | comentar | favorito