Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Noticias do momento

Noticias do momento

07
Out13

Postos de atendimento fiscal em serviços camarários

adm

Presume-se que seja através da criação de postos  de atendimento fiscal em todos os concelhos objeto de reestruturação da rede de serviços locais de Finanças que o Governo pretenda minimizar os efeitos do encerramento das repartições, mantendo uma infraestrutura de apoio ao contribuinte. E, assim, assegurando que a Autoridade Tributária continua a prestar um serviço de proximidade às populações. Diz-se que se presume porque, na verdade, o Executivo pouco tem dito sobre esta matéria.

Em dezembro de 2012, em declarações ao Dinheiro Vivo, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, explicava que esta infraestrutura seria criada em coordenação com cada autarquia, funcionando nas suas instalações ou do Estado central. Anunciava que, nestes postos, seria possível liquidar impostos, obter guias de pagamento, entregar declarações, consultar documentos, obter comprovativos e certidões, bem como um conjunto de outras funcionalidades, tais como a alteração de dados pessoais.

Mas pouco ou nada se soube depois disso. Tanto o Sindicato dos Impostos como a Associação dos Profissionais da Inspeção Tributária assumem nada saber sobre que funções serão atribuídas a estes postos ou para que servirão. Paulo Ralha manifesta reservas e questiona a lógica de substituir repartições por postos de atendimento se tiverem na mesma duas ou três pessoas. Nuno Barroso diz que o Governo está a estudar modalidades de trabalho à distância para os funcionários alvo da reestruturação, mas não sabe em que moldes.

 

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/Economia/index.html

07
Out13

Correos espanhóis interessados nos CTT

adm

Os Correos de Espanha estão interessados nos CTT com o objectivo de criar os "Correos Ibérico". Operação concluída em meses.

Os Correos, serviço postal público espanhol, estão interessados na privatização dos CTT com o objectivo de criar de um serviço postal com escala ibérica, avançou hoje o presidente da Sociedade Estatal de Participações Industriais (SEPI), Ramón Aguirre, citado pelo Expansión.

Segundo o responsável espanhol, a aquisição dos CTT pode concluir-se em poucos meses, adiantando que esta operação faz parte da estratégia de internacionalização e modernização dos Correos para o próximo exercício.

Em entrevista ao Diário Económico, o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, afirmou que continua a ser a sua expectativa a venda dos CTT até final do ano, assegurando que o modelo de venda da empresa ainda não está definido.

Entretanto, ao Económico, fonte próxima do processo afirmou que a privatização dos CTT vai ser realizada por dispersão da maioria do capital do serviço postal português em bolsa.

Os espanhóis juntam-se assim na corrida pelos CTT ao consórcio Montepio Geral e Grupo Rangel, aos Correios do Brasil ao empresário Paulo Fernandes, à Urbanos em parceria com um fundo árabe, ao fundo Apax e outros dois/três fundos de investimento.

 fonte:;http://economico.sapo.pt/

07
Out13

Brasil na corrida à compra dos CTT

adm

O vice-presidente do Brasil reafirmou perante o Governo português o interesse dos Correios do Brasil na privatização dos CTT.

Michel Temer veio a Lisboa para reuniões com o primeiro-ministro, Passos Coelho, o vice-primeiro-ministro, Paulo Portas e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, e garante que o processo de venda dos CTT está a ser seguido com toda a atenção. 

Esta segunda-feira soube-se que o Governo vai privatizar os CTT através da bolsa. De acordo com o jornal "Expresso", o Executivo quer vender na bolsa de valores mais de 50% do capital dos correios. A privatização dos CTT faz parte do acordo com a “troika”.

Na opinião do economista Rui Bárbara, do Banco Carregosa, o Governo poderá ter escolhido a dispersão do capital em bolsa na expectativa de arrecadar mais dinheiro com a venda dos CTT. 

Na opinião deste economista, a opção por este tipo de operação prende-se também com a natureza do negócio: enquanto no caso da TAP era desejável uma escala internacional para que a empresa crescesse, no caso dos correios este é um negócio de carácter nacional.

Por seu lado, o grupo Urbanos propõe pagar entre 500 e 600 milhões de euros pelos CTT. O grupo vai concorrer à privatização em parceria com um banco de investimento com base no Dubai, com quem já está a trabalhar em várias áreas.

No final de Setembro, entregaram à Parpública, que reúne as empresas estatais, uma carta de intenções com três cenários. 

Preferem a aquisição da totalidade da empresa em venda directa, mas também admitem uma operação no mercado ou a possibilidade do Estado manter uma participação mínima, na casa dos 20%.

 

fonte:http://rr.sapo.pt/in

06
Out13

António Costa não exclui liderança do PS

adm

O presidente da Câmara de Lisboa não vê motivos para disputar agora a liderança do PS, mas também não exclui ambições futuras.

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, afirmou hoje que não vê razões para provocar uma alteração na liderança do PS, considerando que esse não é motivo para excluir ambições futuras no partido.

"O PS tem um líder em funções e eu não vejo razões para tomar a iniciativa de provocar uma alteração na liderança do PS. Mas para a resposta a isto não pode ser exigido que eu diga que nunca, em circunstância alguma, assumirei a liderança do PS", disse o dirigente socialista esta noite, numa entrevista ao programa 'A Propósito', do canal SIC Notícias.

Admitindo que considerou disputar a liderança com António José Seguro no início do ano, António Costa disse que "foi muito manifesto que o PS não desejava qualquer confrontação da liderança nessa altura", pela proximidade de eleições autárquicas e pela mobilização na organização das listas aos órgãos locais.

Por outro lado, o autarca recordou que disse ao secretário-geral do partido, em plena Comissão Política Nacional, que "ou havia um conjunto de condições que era possível reunir para unificar o partido" ou que se "sentia na obrigação de avançar para a liderança".

Disputas internas prejudicaram PS

Hoje, considerou, as condições estão satisfeitas e existe "outro clima e postura" no PS. No entanto, António Costa disse não se sentir incapacitado, nem pressionado, para exercer outras funções.

"Tenho 52 anos. Vejo muitas vezes as pessoas a falarem como se soubessem alguma coisa da minha vida. Felizmente não tenho qualquer problema de saúde, tenho capacidade e vontade para trabalhar muitos e bons anos, não tenho de andar aqui em correria ou a atropelar os outros", disse.

Considerando que disputas internas passadas prejudicaram o partido, o presidente da Câmara de Lisboa defendeu a estabilidade entre socialistas.

"Não vou recolher assinaturas para provocar um congresso extraordinário. Não é a forma que eu tenho de estar na política, nem no PS", excluiu.

Reeleito presidente da Câmara de Lisboa no domingo, António Costa assegurou que terá "imenso prazer em exercer até ao último dia" o mandato, mas negou "assumir uma resposta que não ressalve circunstâncias excecionais em que outra decisão seja tomada".

Por outro lado, António Costa considerou "desagradável" que se especule sobre o seu futuro de cada vez que fala da vida política nacional, nomeadamente depois de ter afirmado que da leitura dos números das autárquicas "não resulta o PS como uma alternativa clara e imediata".

Sobre o que falta fazer então ao PS, o dirigente respondeu que há um caminho a percorrer: "As pessoas sentem que o país está num impasse e que temos de o romper. Do meu ponto de vista só se reequacionarmos o problema do país".

Quanto a eleições legislativas antecipadas, António Costa disse que "desejavelmente os mandatos deviam ser cumpridos", mas considerou que "o Governo não é reformável por si próprio", sem excluir a hipótese de que "o PSD e o CDS-PP encontrem energias próprias, internamente, para encontrar soluções que reformem isto".

"Problema democrático"

Por outro lado, o socialista considerou que o Presidente de República, Cavaco Silva, teve condições (até à crise política do início do verão) para "pelo menos forçar o PSD a propor uma outra solução governativa que tivesse outra capacidade de diálogo com o PS e exigir ao PS uma outra capacidade de diálogo com outro governo do PSD", lamentando a degradação do grau de relacionamento na vida política.

O autarca considerou ainda que "o PS com o atual Governo não tem condições de novos compromissos".

Depois de ter recusado, no discurso que proferiu nas celebrações da implementação da República, que a crise seja resolvida com a "secundarização da democracia", António Costa admitiu um "problema democrático", quando se entende que perante "um afrontamento continuado à Constituição da República a solução é mudá-la e não corrigir os comportamentos".

Sobre outro dos temas do dia, o pedido de desculpa do ministro dos Negócios Estrangeiros a Angola, o socialista disse que as declarações de Rui Machete foram "absolutamente lamentáveis e incompreensíveis".

 fonte:http://economico.sapo.pt/n

06
Out13

PS pede explicações sobre cortes nas pensões de viuvez

adm

O deputado do PS Pedro Marques pediu, este domingo, explicações ao Governo sobre cortes previstos nas pensões de viuvez em 2014, considerando a medida "inaceitável" e "de enorme indignidade".

"Há uma necessidade de explicação por parte do Governo, porque o primeiro-ministro nada referiu sobre esta matéria no debate quinzenal e o vice primeiro-ministro, na conferência de imprensa da passada quinta-feira, até disse que não havia novas medidas de austeridade e falou no fim da TSU dos pensionistas", disse à agência Lusa Pedro Marques.

O deputado socialista e ex-secretário de Estado da Segurança Social reagia à notícia hoje avançada pela TSF, que dá conta de cortes, a partir de janeiro, nas pensões de sobrevivência, prestação atribuída a viúvos e viúvas.

Segundo a TSF, esta medida foi assumida pelo Governo durante as oitava e nona avaliações do programa de ajustamento com o objetivo de poupar 100 milhões de euros.

O socialista afirmou que esta proposta "é imoral do ponto de vista social", considerando "inaceitável a falta de verdade e de clareza do Governo".

"É profundamente errado que o Governo, em particular Paulo Portas, tenha escondido esta medida dos portugueses quando disse que ia acabar com a TSU dos pensionistas", disse, adiantando que "afinal a TSU sobreviveu para os viúvos e viúvas".

Para o ex-secretário de Estado da Segurança Social, é de "uma enorme indignidade" o Governo querer cortar nas pensões.

A Lusa contactou o Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social que, até ao momento, não prestou esclarecimentos.

 

fonte:http://www.jn.pt/Pa

02
Out13

PSG derrota Benfica

adm

Dois golos de Ibrahimovic e outro de Marquinhos fizeram o resultado.

 

Dois golos de Zlatan Ibrahimovic, intercalados por outro de Marquinhos, permitiram ao PSG golear o Benfica por 3-0 em jogo relativo à 2ª jornada do Grupo C da Liga dos Campeões. Com uma actuação medíocre até ao intervalo, a equipa lisboeta foi incapaz de dar réplica aos parisienses e, embora melhorasse no segundo tempo, só conseguiu criar alguns lances perigosos, mas não reduziu a diferença.

Ibrahimovic deu vantagem ao PSG logo aos quatro minutos, numa jogada rápida entre Matuidi, Verrati e Van der Wiel, cabendo a este centrar para a emenda do internacional sueco à boca da baliza. Incapaz de controlar a bola e o ritmo do adversário, o Benfica era ultrapassado com extrema simplicidade pelos gauleses e sofreria o segundo golo à passagem dos 25 minutos, após um canto em que a bola regressou à área, Matuidi rematou, Artur desviou para a frente e Marquinhos, em velocidade, surgiu a tocar para a baliza na pequena área. Outra contrariedade para a equipa de Jesus sucedeu aos 29 minutos, pois Fejsa lesionou-se, sendo rendido por André Gomes. Logo a seguir (31 m), Ibrahimovic apontou o 3-0, cabeceando num canto sem oposição.

Os benfiquistas não existiam em campo, não eram capazes de construir uma jogada de ataque e o Paris Saint-Germain passou a gerir a vantagem, algo que só se alterou um pouco durante o segundo tempo: Jesus trocou o ineficaz Djuricic por Markovic, a equipa ganhou velocidade na ofensiva, criou problemas ao guarda-redes Sirigu, mas não deixou de cometer erros e os franceses também dispuseram de ocasiões para marcar, obrigando Artur a concentração permanente.

No outro jogo do Grupo C, o Anderlecht foi goleado pelo Olympiacos (3-0).

Outros resultados de hoje: Grupo A - Leverkusen-Real Sociedad, 2-1 e Shakhtar Donetsk-Manchester United, 1-1; Grupo B - Juventus-Galatasaray, 2-2 e Real Madrid-FC Copenhaga, 4-0; Grupo D - CSKA Moscovo-Plzen, 3-2 e Manchester City-Bayern, 1-3.

fonte:http://economico.sapo.pt/

02
Out13

Alerta: não será possível cumprir o défice este ano

adm

A Unidade Técnica de Apoio Orçamental estima que o limite anual do défice não poderá ser cumprido. Quanto a este semestre, Portugal apresenta margem de 2500 milhões de euros.


A Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) estima que "existe margem para acomodar o défice" de setembro, cumprindo o limite trimestral, mas alerta que "ainda não é possível garantir que o mesmo venha a suceder" para o limite anual.

Na avaliação ao relatório de execução orçamental de agosto, documento a que a Lusa teve acesso, a UTAO refere que o défice orçamental até agosto se fixou "consideravelmente abaixo do limiar estabelecido para o período janeiro-setembro", ressalvando, no entanto, que o limite para o terceiro trimestre deste ano foi revisto em alta na sétima avaliação ao programa (dos 6.000 milhões para os 7.300 milhões de euros), o que significa que "existe margem para acomodar o défice do mês de setembro".

 

Contudo, os técnicos independentes que dão apoio à comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública consideram que "ainda não é possível" aferir se o limite anual do défice orçamental, fixado nos 8.900 milhões de euros, vai ser cumprido ou não.

"Relativamente ao cumprimento do limite estabelecido para dezembro de 2013, ainda não é possível garantir que o mesmo venha a suceder", uma vez que estão por realizar algumas despesas relevantes, nomeadamente ao nível de despesas com pessoal, pensões e juros e que o ritmo de crescimento da receita fiscal e contributiva encontra-se em abrandamento desde junho, justificam os técnicos.

Ainda assim, acrescentam, "um eventual desvio (positivo ou negativo) ao limite do PAEF [Programa de Assistência Económica e Financeira] para dezembro de 2013, à luz da informação atualmente disponível, não se antevê muito significativo".

DÉFICE PARA ESTE SEMESTRE SITUADO NOS 7300 MILHÕES DÁ MARGEM DE MANOBRA

De acordo com os números da Direção-Geral do Orçamento (DGO), o défice orçamental das administrações públicas atingiu os 4.794,8 milhões de euros até ao final de agosto, contabilizado segundo os critérios da 'troika' (Fundo Monetário Internacional, Banco Central Europeu e Comissão Europeia), o que representa uma melhoria de 424 milhões de euros face a julho.

Portugal apresenta, assim, uma margem de 2.505,2 milhões de euros para cumprir a meta do défice trimestral estipulada pela 'troika' para o terceiro trimestre do ano, atualmente nos 7.300 milhões de euros.

Este é um objetivo considerado estrutural e cujo incumprimento permite aos credores internacionais inviabilizarem o próximo desembolso do empréstimo internacional.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/n


01
Out13

Nove das dez marcas de automóveis mais vendidas sobem até Setembro

adm
Apesar de o comparativo com 2012 ter como base o pior ano de sempre de vendas de carros em Portugal nas últimas décadas, a verdade é que o mercado nacional vai dando alguns sinais de recuperação ainda que considerados "ténues" para as marcas.

Segundo a ACAP, a venda de automóveis ligeiros aumentou 5,9% até Setembro (90.345 carros), face ao mesmo período homólogo. O mercado na globalidade, que junta ainda os comerciais, os pesados de mercadorias e os pesados de passageiros, cresceu 5,7% no período em análise.

Se olharmos para o "top ten" das marcas mais vendidas, no segmento mais relevante (ligeiros de passageiros), verificamos que só a Citröen (ocupa a 9ª posição no ranking) quebrou nas vendas. 

Neste grupo, destaque para o desempenho das "marcas premium" alemãs. A BMW (4ª) e a Mercedes (5ª) que apresentam as maiores subidas percentuais neste grupo (mais 21,7% no primeiro caso e 30,3% no segundo). 

Em comunicado, a associação do sector ACAP salienta, no entanto, que "o mercado atingiu no ano de 2012 um volume anormalmente baixo, tendo sido mesmo o pior ano de vendas dos últimos 27". 

Deste modo, explica a associação, "os registos agora obtidos, apesar de apresentarem variações percentuais positivas, continuam a ser historicamente baixos quando comparados com anos anteriores, em termos de volume de mercado". 

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/e

01
Out13

Porto perde com Atlético Madrid

adm

Arda Turan decidiu com golo em fora-de-jogo.

 

 

O Porto perdeu (1-2) com o Atlético Madrid, em partida relativa à 2ª jornada do Grupo G da Liga dos Campeões e que foi decidida com um segundo golo em fora-de-jogo não assinalado pela equipa de arbitragem liderada pelo inglês Howard Webb. Desde 2009, com o Chelsea de Carlo Ancelotti, que os portistas não perdiam como anfitriões na Champions.

O desafio foi sempre de elevada intensidade e os portistas, que assim sofreram o primeiro desaire esta época, começaram por exercer domínio perante um Atlético Madrid que soma 14 jogos sem perder esta temporada. Premiando a agressividade da equipa de Paulo Fonseca surgiu a vantagem no marcador à passagem do quarto-de-hora: livre de Josué sobre a esquerda, a bola foi colocada na área e Jackson Martínez apareceu imparável a cabecear para o golo.

Com o golo sofrido, o Atlético Madrid subiu no terreno e passou a pressionar o adversário, embora não colhesse grandes resultados dessa mudança de atitude. Só à beira do intervalo, num pontapé de canto marcado por Gabi, houve perigo com golpe de cabeça de Raul García à barra. No minuto seguinte, Varela teve nos pés o 2-0, mas permitiu a defesa de Courtois.

No segundo tempo, a equipa de Diego Simeone tornou-se mais ameaçadora, trocando logo David Villa pelo ex-portista Cristián Rodríguez. Os ‘colchoneros’ ganharam mobilidade e empataram num livre que Godín desviou de cabeça perante a saída em falso de Helton (57 m). De imediato, Paulo Fonseca substituiu Josué por Licá, tentando agitar o ataque portista, insistindo aos 68 minutos com a mudança de Lucho González por Quintero.

O Porto melhorou, embora o Atlético Madrid mantivesse a pressão. O recém-entrado colombiano esteve quase a marcar de livre directo, mas Raul García também se aproximou do segundo golo à entrada para o último quarto-de-hora: o remate foi detido por Helton, após fabuloso passe de Arda Turan.

Nos últimos minutos o desafio voltou a ser equilibrado e, a quatro minutos do fim, num livre que surpreendeu os portistas, com a bola colocada atrás da barreira, Arda Turan, partindo de fora-de-jogo não assinalado, rematou forte na área e assegurou mais um milhão de euros ao clube de Madrid.

No outro jogo do Grupo G, o Zenit empatou em casa com o Áustria Viena (0-0).

Outros resultados de hoje: Grupo E – Basileia-Schalke 04, 0-1 e Steaua Bucareste-Chelsea, 0-4; Grupo F – Arsenal-Nápoles, 2-0 e Dortmund-Marselha, 3-0; Grupo H –Ajax-Milan, 1-1 e Celtic-Barcelona, 0-1.

 fonte:http://economico.sapo.pt/n

01
Out13

Eleições diretas no PSD em janeiro

adm

As eleições diretas para a liderança do PSD estão previstas para janeiro e o Congresso para fevereiro, segundo um cronograma publicado esta terça-feira na página da Internet dos sociais-democratas.

Segundo este "cronograma de próximas iniciativas políticas", em dezembro haverá uma reunião do Conselho Nacional do PSD para a marcação das diretas e do Congresso.

Para outubro, estão previstas eleições para a direção do grupo parlamentar do PSD.

Fonte social-democrata disse à Lusa que estas informações vão ser transmitidas na reunião de hoje do Conselho Nacional do PSD, no qual será feito um balanço das eleições autárquicas de domingo.

O mesmo cronograma indica novembro como o prazo para o início da preparação das eleições europeias de 25 de maio de 2014, com base num texto intitulado "Mais Europa, Melhor Portugal", elaborado pela direção nacional do PSD, no qual se lê que vão ser promovidos "seis grandes debates com a participação de personalidades nacionais e europeias".

Pedro Passos Coelho foi eleito presidente do PSD em eleições diretas a 26 de março de 2010 e reeleito a 3 de março de 2012.

Os congressos que elegeram as suas equipas de direção e os restantes órgãos nacionais do PSD realizaram-se a 9,10 e 11 de abril de 2010 e 23, 24 e 25 de março de 2012.

Os Estatutos do PSD estabelecem que "os mandatos dos órgãos eletivos do Partido são de dois anos, contando-se a sua duração a partir da data da eleição".

O calendário de iniciativas políticas do PSD hoje divulgado inclui o Congresso do Partido Popular Europeu (PPE), marcado para 6 e 7 de março, em Dublin, depois das eleições diretas de janeiro e do XXXV Congresso Nacional de fevereiro.

Está ainda previsto que entre novembro e dezembro se realizem "sessões temáticas" sobre o Orçamento do Estado para 2014, que em janeiro arranquem as comemorações do 40.º aniversário do PSD, a realizar até dezembro de 2014, e que em março haja um Conselho Nacional para aprovar o manifesto eleitoral e a política de coligação para as eleições europeias.

O texto "Mais Europa, Melhor Portugal", também divulgado hoje na página da Internet dos sociais-democratas, refere que PSD e CDS-PP acordaram elaborar um manifesto conjunto sobre política europeia e propor aos respetivos partidos apresentar uma lista única ao Parlamento Europeu.

A direção social-democrata considera que o programa eleitoral para as eleições europeias deve responder à questão "Que Europa devemos construir?" e adianta que, em colaboração com o Instituto Francisco Sá Carneiro, vai promover "seis grandes debates" sobre temas como crescimento e emprego, livre circulação, solidariedade ou a estabilidade do euro.

fonte:http://www.jn.pt/P

Pág. 3/3

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D