31
Ago 13

Sondagem Expresso: PSD-36,4%; Coligação - 28,8%, CDS - 24,8%, CDU - 6,9%

A sondagem revelada ao início desta noite pelo Expresso mostra uma luta renhida para a Câmara do Funchal. O estudo, feito pela Eurosondagem para o Expresso e a SIC, mostra que se as eleições fossem hoje o PSD continuava a ganhar a Câmara mas com uma significativa quebra eleitoral. E mostra também que a coligação liderada pelo independente Paulo Cafôfo ficaria em segundo lugar, à frente da candidatura do CDS. 

Na prática, de acordo com os números acabados de revelar, Bruno Pereira ganharia a Câmara com 36,4%, Paulo Cafôfo chegaria aos 28,8% e José Manuel Rodrigues teria cerca de 24,8%. Finalmente, a CDU teria 6,9% dos votos.

Transpondo estas percentagens para a distribuição dos onze mandatos em disputa, temos que Bruno Pereira teria 4 a 5 mandatos, Paulo Cafôfo elegeria 3 a 4 vereadores, José Manuel Rodrigues 3 e Artur Andrade entre 0 a 1 mandato.

A sondagem do Expresso foi feita nos dias 26 e 27 de Agosto, a um mês das eleições por entrevistas telefónicas a habitantes do Funchal com 18 ou mais anos. De acordo com a ficha técnica, foram efectuadas 633 tentativas de entrevistas e dessas 123 não aceitaram responder. A Eurosondagem aponta uma percentagem de 4,33% como margem de erro.

 

fonte:http://www.dnoticias.pt/

publicado por adm às 13:27 | comentar | favorito
31
Ago 13

Tempo quente e seco até terça-feira, chuva a partir de quarta

O tempo vai continuar, em Portugal continental, quente e seco até terça-feira, sendo que na quarta começa a tornar-se mais fresco e húmido, com o regresso da chuva às regiões Norte e Centro, prevê a meteorologia.

O tempo vai continuar, em Portugal continental, quente e seco até terça-feira, sendo que na quarta começa a tornar-se mais fresco e húmido, com o regresso da chuva às regiões Norte e Centro, prevê a meteorologia.

O meteorologista Nuno Moreira, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, disse hoje à agência Lusa que o tempo vai manter-se quente e seco no continente até terça-feira, com as temperaturas máximas a rondar os 34ºC a 36ºC nas regiões de Lisboa e Vale do Tejo e Alentejo. As mínimas situar-se-ão nos 20ºC.

Para quarta-feira, a meteorologia prevê aguaceiros nas regiões Norte e Centro, com a chuva a ser mais contínua na quinta-feira.

Segundo Nuno Moreira, o tempo húmido e fresco, acompanhado por descida gradual da temperatura, tem tendência para manter-se até domingo da próxima semana.

 fonte.http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 13:05 | comentar | favorito
tags:
24
Ago 13

Nunca houve tão poucos a descontar para a Segurança Social

Em Junho, 2,9 milhões de pessoas faziam descontos, o número mais baixo de sempre. Há, por outro lado, 3,7 milhões de beneficiários.

Nunca em Portugal houve tao poucos contribuintes a descontar para a Segurança Social. Cada vez há mais pensionistas e outros beneficiários a receber, mas o número dos que contribuem está sucessivamente a baixar.

As contas estão feitas na edição deste sábado do “Diário de Notícias”.

Em Junho, 2,9 milhões de pessoas faziam  descontos para a Segurança Social, o número mais baixo de sempre, segundo dados do Instituto de Informática e Estatística da Solidariedade (IIES) referidos pelo jornal.

Por outro lado, os pensionistas ultrapassaram os dois milhões em Maio.

Contando com os 393 mil beneficiários do subsídio de desemprego, os 105 mil com subsídio de doença e o milhão e 200 mil de titulares de abono de família, são 3,7 milhões de beneficiários.

Além disso, as contribuições são agora mais baixas, uma situação provocada pelas novas regras para atribuição do subsídio de desemprego, que levam a que as pessoas tenham de aceitar empregos com salários mais baixos, pelos cortes nas indemnizações, o congelamento do salário mínimo e, ainda, a emigração.

O resultado é que os saldos da Segurança Social e a sustentabilidade do sistema estão cada vez mais em risco.

 fonte:http://rr.sapo.pt/in


publicado por adm às 22:47 | comentar | favorito
tags:

'Sites' de descontos para grupos atraem cada vez mais portugueses

De acordo com Gonçalo Poças, responsável de marketing do portal Forretas.com, este é "um dos poucos setores a crescer em Portugal"; no ano passado a faturação dos sete principais sites, que representam 75% do mercado, rondou 24 milhões de euros em 2012 e este ano deverá alcançar 28,6 milhões de euros, mais 16 por cento.

Gonçalo Poças, cujo sítio, a que se refere como "o Google dos descontos", lança diariamente até 200 descontos de diferentes tipos, afirma que as ofertas agregadas são de parceiros recomendados, e "a estética tem uma oferta enorme".

fonte:http://noticias.sapo.pt/

publicado por adm às 10:45 | comentar | favorito
tags:
24
Ago 13

Cor-de-rosa: Segredos valem meio milhão de revistas por semana

Judite Sousa arrisca-se a ganhar o título de protagonista do verão nas revistas de sociedade e cor-de-rosa. Num mercado que tem valido perto de meio milhão de revistas vendidas semanalmente, durante o mês de agosto, a jornalista e diretora adjunta da TVI poderá bater todos os recordes em época dourada de vendas destas publicações.

“As revistas deste género de social têm uma sazonalidade, vendem mais no verão porque as pessoas estão de férias, têm mais tempo para o lazer e para se dedicar a este tipo de leitura leve”, diz Fernanda Dias, diretora de publicação da Caras, lembrando que hoje os leitores “já compram só uma única revista”. Mas porquê a procura? “As revistas funcionam como conversas entre amigas, em que as protagonistas vão contando, ano após ano, como emagreceram, como mantêm a forma, vão acompanhando a evolução da vida. As revistas cor-de-rosa têm essa vertente da novela, acompanhamos as personalidades desde que elas aparecem - depois casam-se, têm filhos, divorciam-se, por vezes têm outros casamentos, levam os filhos à escola. No verão, mostramos onde vão à praia e depois quando regressam ao trabalho e como retomam as rotinas.”

Bem longe da típica silly season, revistas como a Caras, a Flash!, a Lux, a Nova Gente e a VIP não tiveram, este ano, mãos a medir nos dois meses mais quentes do ano e foi preciso estar de olho vivo em áreas como o nascimento do herdeiro da coroa britânica George Alexander Louis, o casamento do filho do presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, ou a inesperada detenção do ator da TVI Rodrigo Menezes.

Para tentar inverter um mercado em quebra e chegar aos 418 mil exemplares vendidos no ano passado, por semana, durante o mês de agosto, os diretores de revistas tiveram ainda de ter pé ligeiro para conseguir comprar os exclusivos de Luís Figo e da mulher, Helen, de férias em Ibiza, e as imagens de David Cameron, primeiro-ministro britânico, em Aljezur. Jornalistas desdobraram-se a tentar encontrar famosas em fato de banho na praia, exibindo as curvas desenhadas em ginásios nos meses de inverno, ou ainda flagrar romances tórridos como o de Marisa Cruz com o hoquista do FC Porto Pedro Moreira, em pleno areal algarvio, ou a primeira saída noturna de João Pinto com a nova namorada, Ângela.

“Judite Sousa está a ser um dos principais rostos deste verão. Primeiro, foi capa de Caras, em que surge de biquíni, fantástica. Depois, veio a história do divórcio e a entrevista com o jovem milionário que trouxe Pamela Anderson a Portugal [Lorenzo Carvalho], que tem gerado uma violência nas redes sociais que nunca vi uma coisa igual - está a ser um exagero”, afirma Fernanda Dias.

A diretora da Caras não é a única a considerá-lo. “A Judite foi decididamente a figura do verão, tendo em conta a sua situação pessoal e o divórcio”, afirma uma outra editora, que pediu anonimato. Apesar de não saber se a edição em que a pivô do Jornal das 8 surgia “em forma, aos 52 anos” foi a capa mais rentável de 2013, Fernanda Dias não duvida de que “a revista mais vendida do ano surge sempre nesta altura”. Para a Caras, e excluindo dados das vendas eletrónicas, a capa do ano pode “rondar os 90 mil exemplares”.

Cristina é a que mais vende
Com ou sem drama associado, imagens de Cristina Ferreira a veranear com o filho, Tiago, podem estar entre os títulos mais procurados. Ao que foi possível apurar, o toque de Midas da apresentadora da TVI pode valer “um acréscimo estimado de vendas da ordem dos 10%”.

Este ano houve, contudo, uma novidade: “A capa dos duques de Cambridge, Kate e William, a mostrar o bebé recém-nascido, numas fotos superinformais, são um dos assuntos do ano. Não é todos os anos que nascem crianças famosas no verão e este ano aconteceu...”, congratula-se Fernanda Dias.

Relegados para segundo plano estão os políticos. A ida a banhos do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, na Manta Rota ou do ministro da Defesa, Aguiar Branco, ou até os mergulhos na piscina do ex--primeiro-ministro e atual comentador da RTP José Sócrates já não movem multidões como no ano passado. “Políticos em revista cor-de-rosa não combina. Creio que as pessoas só quereriam ver se fosse uma coisa mais natural. Como matéria, fazemos, mas não é uma boa capa”, justifica a diretora de conteúdos da Caras.

Os bastidores pré-estação
Os preparativos para o verão começam a ser feitos cerca de um mês antes do arranque dos tempos quentes, embora as equipas - compostas maioritariamente por um jornalista e um repórter fotográfico - permaneçam cada vez menos tempo a sul. “Com a crise, mandamos equipas por menos tempo, entre 15 de julho e 15 de agosto”, confirma um dos responsáveis de uma das revistas.

Até ao fecho de edição, não foi possível obter comentários das direções da Nova Gente, líder no segmento [fechou abril com circulação média semanal paga de 93 mil exemplares], da Lux [53 mil] ou da Flash! [43 mil].

As festas que as publicações promovem a sul também ajudam as revistas. “É muito importante fazê-las, dinamizam o fluxo noticioso. As pessoas deixam-se fotografar connosco, depois, fazendo praias, pedimos autorização e, felizmente, temos bastantes sim”, justifica Fernanda Dias, desmistificando a ideia de invasão de privacidade das pessoas que não querem ser fotografadas na praia - as que não querem ser fotografadas, “não vão para as praias onde sabem que há fotógrafos por perto”. É destes locais e destas situações que as “famílias tradicionais portuguesas” mais fogem. “Raramente abrem as portas de suas casas, creio que ainda há preconceito em relação a isso e penso que o motivo seja por serem tradicionais, mas estão nas festas e deixam-se fotografar”, explica a diretora da Caras.

“Quando falamos do verdadeiro jet set, são escolhidas outras publicações. E às vezes não corre bem”, avança. Foi o que sucedeu a Cristina Espírito Santo, membro da família proprietária do Banco Espírito Santo, ao referir-se às suas férias desprendidas na Comporta como “a brincar aos pobrezinhos”. Uma frase que obrigou a filha de Jorge Espírito Santo a um pedido de desculpa e a transformou em assunto principal do falatório de verão.  

 

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 10:42 | comentar | favorito
23
Ago 13

Temperaturas acima dos 30 graus pelo menos até quarta

O tempo vai continuar quente e seco, com temperaturas a rondar os 30 graus, até pelo menos à próxima quarta-feira. Depois, o calor não irá desaparecer, mas nos últimos dias de Agosto é possível que apareçam trovoadas e alguns aguaceiros, sobretudo no Sul do país. 

Para já, o fim-de-semana vai aquecer ainda mais, estando prevista “uma pequena subida da temperatura máxima em especial nas regiões do litoral Norte e Centro”, explica a meteorologista Maria João Frada. 

Por outro lado, “no Algarve, que é um local onde hoje está muito calor, sofrerá amanhã uma pequena descida da temperatura máxima”, acrescenta ainda. 

As temperaturas máximas ligeiramente acima dos 30 graus irão prolongar-se até quarta-feira, mas depois irá surgir alguma instabilidade na metade Sul do continente. 

“Nos dias 26 e 27, as temperaturas vão manter-se sensivelmente semelhantes às do fim-de-semana. Estarão cima dos 30 graus na generalidade do território, sendo mais elevadas nas regiões do interior Centro e Sul”, prevê a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera. 

O tempo quente vai manter-se “pelo menos até dia 1 de Setembro, sendo que, entre 28 e 1, haverá tendência para a instabilidade nas regiões a Sul do sistema montanhoso Montejunto-Estrela”, acrescenta Maria João Frada, onde podem ocorrer “aguaceiros e trovoadas”. 

Face a estas previsões, a Protecção Civil decidiu prolongar o alerta amarelo do seu dispositivo de incêndios até à próxima quarta-feira. O alerta estava em vigor até às 20h00 desta sexta-feira, mas foi prolongado por mais cinco dias.


fonte:http://rr.sapo.pt/

publicado por adm às 23:41 | comentar | favorito
tags:

Subsídios de desemprego e doença mais pequenos a partir de hoje

Os cortes abrangem prestações acima dos 419 euros: menos 6% no subsídio de desemprego e menos 5% no subsídio de doença com mais de 30 dias.


Os subsídio de desemprego e de doença, em pagamento a partir de hoje, estão mais pequenos. 

Os beneficiários que recebem acima do valor mínimo vão sofrer cortes. Em causa estão as taxas de 6 e 5%, que entraram em vigor com o Orçamento Rectificativo.

Estão de novo em vigor as taxas introduzidas pelo Governo sobre os subsídios de desemprego e doença e suspensas por indicação do Tribunal Constitucional.

Os cortes abrangem prestações acima dos 419 euros, que corresponde ao valor do indexante dos apoios sociais - IAS. Aos subsídios de desemprego acima desta quantia é aplicada uma taxa de 6%. Sobre os subsídios de doença com mais de 30 dias, a taxa é de 5%.

Como a medida entrou em vigor a 25 de Julho, este mês o corte será superior porque vai incluir também os últimos dias do mês passado.

Também esta quinta-feira entrram em vigor os novos valores da contribuição para a ADSE. Este mês, os funcionários públicos e pensionistas passam a descontar mais: vão pagar uma taxa de 2,25% em vez dos actuais 1,5%. 

Só quem recebe menos que o salário mínimo nacional, actualmente nos 485 euros, é que está isento.

fonte:http://rr.sapo.pt/i


publicado por adm às 23:39 | comentar | favorito
23
Ago 13

Portugueses gastam mais do que poupam

Números mostram que Portugal está no fundo da tabela da poupança e no topo da do consumo. De 1995 para 2010, as famílias aumentaram o nível de endividamento de 35% para 130%  do seu rendimento disponível.


As estatísticas não deixam margem para dúvida: os portugueses gastam mais do que poupam. Nos últimos anos aumentou o endividamento e a comparação com os parceiros europeus é inevitável.

Entre os 27, estamos no fundo da lista dos que fazem mealheiro, mas na hora de gastar, subimos a escala.

Os cartões multibanco, o cartão de crédito, os cartões das lojas e produtos começaram a substituir as notas e moedas nas carteiras dos portugueses. 

Resistir à tentação do consumo da multiplicidade de bens e serviços oferecidos em cada vez mais e maiores espaços comerciais não é para todos. Com o dinheiro menos visível e o crédito ao consumo fomentado pela banca, muitos foram os que se endividaram. 

De 1995 para 2010, as famílias aumentaram o nível de endividamento de 35 para 130% do seu rendimento disponível, e a maior fatia vai para a prestação da casa. 

Aliás, os portugueses estão entre os povos da União Europeia que menos poupam (- de 10% do rendimento anual) a par dos polacos, irlandeses ou checos. Todos abaixo da média dos 27 e claro, bem longe dos maiores aforristas, os belgas e os alemães. 

A nível europeu, também as famílias da Holanda, Irlanda, Dinamarca, estónia, Letónia, Hungria e ou da vizinha Espanha gastaram mais do que ganharam. 

O problema do endividamento agravou-se nos últimos anos com a crise, o crescimento do desemprego, a carestia de vida ou o aumento dos impostos. 

No fim de 2010, 25 anos depois da entrada na CEE, metade da população adulta tinha empréstimos à banca ou a outras entidades financeiras. Os bancos começaram a cortar o crédito e a querer cobrar caro o que venderam barato. Diversas organizações, nomeadamente de Defesa do Consumidor, alertam e tentam ajudar à renegociação das dívidas. 

Este é mais um dos indicadores tratados no estudo "25 anos de Portugal Europeu", coordenador por Augusto Mateus, e que vai ser uma das bases para o debate no 2º Encontro Presente no Futuro, organizado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, nos dias 13 e 14 de Setembro, em Lisboa.

fonte:http://rr.sapo.pt/in

publicado por adm às 23:37 | comentar | favorito
19
Ago 13

Parquímetros dão 1885€ à hora


Receitas do estacionamento em zonas pagas rendem 19,8 milhões de euros em 2012. Só os bloqueios e remoções permitem arrecadar 2,7 milhões.

É uma atividade em crescimento. Por mês, o estacionamento pago na cidade de Lisboa rende à EMEL um total de 1,65 milhões de euros. Entre parquímetros, bloqueios, reboques, contraordenações e estacionamento em parques reservados, a empresa amealhou um total de 19,8 milhões de euros em 2012.

Só os parquímetros contribuem com com 16,5 milhões de euros anuais no bolo de receitas, o valor mais alto desde que a EMEL entrou em funcionamento. Os números fazem parte do relatório e contas do ano passado e mostram que, a cada hora, um parquímetro permite à EMEL arrecadar 1885 euros, o que representa um crescimento de 9,2% em relação ao ano anterior.

No que toca aos bloqueios e ao reboque de veículos, as receitas também têm vindo a crescer ao longo dos últimos anos. Em 2012, a EMEL bloqueou 40 498 veículos e removeu 9085, o que permitiu à empresa arrecadar 2,72 milhões de euros – mais 18,6% do que em 2011. Segundo os dados da empresa, esta é, aliás, a rubrica de receitas que mais cresce em 2012.

Já os avisos deixados aos condutores dos veículos – por terem excedido o tempo de estacionamento pago – caíram ligeiramente dos 907 mil em 2011 para quase 875 mil no final do ano passado.

A EMEL apresentou um lucro de 1,99 milhões de euros em 2012. A dívida total da empresa ascende a 5,88 milhões.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/n


publicado por adm às 15:11 | comentar | favorito
19
Ago 13

Calor até meio da semana. Terça-feira vai ser o dia mais quente

A semana começa com mais calor em todo o país, sobretudo no interior, onde as temperaturas máximas podem chegar aos 40 graus. O dia mais quente vai ser terça-feira, dia 20. 

“Até terça-feira, temos uma nova subida da temperatura máxima. O cenário de tempo mais quente mantém-se até dia 20, em que se prevê uma pequena subida da máxima”, refere à Renascença a meteorologista Maria João Frada, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). 

“Depois, prevê-se uma descida significativa da temperatura máxima, sobretudo nas regiões do litoral oeste e a norte do cabo raso. Nas regiões do interior e em Lisboa, as temperaturas ainda serão elevadas. A descida mais significativa será dia 22 em todo o território”, acrescenta. 

Para hoje, as máximas previstas são de 34 graus em Lisboa, 26 no Porto e 33 em Faro.

Por causa do calor, 12 distritos de Portugal continental e o arquipélago da Madeira estão hoje sob aviso amarelo do IPMA: Braga, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Lisboa, Setúbal, Évora, Beja e Faro. 

O aviso vai vigorar até quarta-feira, às 17h59, no continente, e até às 20h59 nas ilhas da Madeira e de Porto Santo. 


Risco muito alto de exposição aos raios ultravioleta 
Todo o território português apresenta hoje risco muito alto de exposição a radiações ultravioleta (UV), com excepção de Ponta Delgada, nos Açores, onde o risco é moderado. 

Todas as cidades do país estão entre os níveis 8 e 10 (o máximo é 11) de índice, que representa um risco muito alto. Em Ponta Delgada, o índice 5. 

Os casos mais graves são o Funchal, onde o índice vai chegar a 10, bem como Bragança, Évora, Faro, Guarda, Penhas Douradas, Porto Santo (arquipélago da Madeira), Sagres, Setúbal, Sines e Viseu, que apresentam um índice 9 de UV. 

Com níveis do índice muito alto, entre 8 e 11, as pessoas são aconselhadas a utilizar óculos de sol com filtro UV, chapéu, t-shirt que proteja os ombros e o decote, guarda-sol, protector solar de índice elevado e evitar a exposição ao sol (crianças e adultos), sobretudo nas horas de maior calor (entre as 11h00 e as 17h00).

fonte:http://rr.sapo.pt/i

publicado por adm às 15:10 | comentar | favorito
tags: