Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Noticias do momento

Noticias do momento

17
Nov12

Preço do bacalhau cai 15% desde início do ano

adm

O consumo de bacalhau tem escapado à crise e subiu mais de 10% até Outubro, ajudado pela descida dos preços, que caíram 15% desde o início do ano.

"O tempo da crise é tempo de bacalhau", disse Christian Nordahl, o director do Conselho Norueguês da Pesca (Norge) para Portugal, num almoço oferecido pela Embaixada da Noruega a comerciantes de bacalhau, onde estiveram presentes os responsáveis da Charcutaria Manuel Tavares, Mercado da Figueira, Antiga Casa do Bacalhau, Rei do Bacalhau, Pérola do Arsenal e Abastecedora de Atum da Ribeira Nova.

O director da Norge adiantou que o preço do bacalhau crescido, que corresponde a cerca de metade das vendas, era de 7,5 euros no início do ano e ronda actualmente os 6,40 euros, acrescentando que os preços baixaram "em toda a cadeia" de abastecimento.

Alguns comerciantes queixaram-se, no entanto, dos preços elevados que pagam e mostraram-se interessados em importar directamente a partir da Noruega.

Questionado sobre o impacto da greve dos portos sobre o comércio da Noruega, o embaixador Ove Thorsheim, afirmou que "as exportações foram muito pouco afectadas", mas acrescentou que "a situação está a ser observada" e que pode haver efeitos a longo prazo.

"Se houver problemas, os navios noruegueses podem ir para outro lado. O problema são as greves recorrentes porque fazem perder a confiança e os portos podem não recuperar", considerou.

 fonte:http://economico.sapo.pt

09
Nov12

Nova Lei das Rendas: pedidos de esclarecimento disparam

adm

O número de esclarecimentos sobre a nova lei do arrendamento feitos ao Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) nos primeiros cinco dias úteis de novembro representou metade dos pedidos realizado em todo o mês de outubro. 

A três dias da entrada em vigor da nova lei do arrendamento, o presidente do IHRU afirmou hoje ter havido um aumento dos contactos através de telefone, do correio eletrónico e presencialmente para pedir esclarecimentos sobre o quadro legal.

Entre agosto e novembro, o instituto contabilizou 1.353 atendimentos, a maior parte dos quais provenientes de senhorios.

No início deste mês (primeiros cinco dias úteis), o IHRU registou 275 contactos e espera que os pedidos de informação aumentem com a entrada em vigor da lei, que a ministra da tutela antecipa como ¿transformadora e necessária para que o mercado funcione bem¿.

Depois de uma visita aos serviços de atendimento ao público do IHRU, esta manhã, a ministra Assunção Cristas indicou que a lei vai ¿permitir aliviar a vida das pessoas¿, ao diminuir os gastos com habitação e permitir maior mobilidade pelo país por razões laborais.

A definição de ¿preços ajustados¿ é a convicção da governante em relação aos efeitos da aplicação da nova lei.

A ministra voltou a lembrar que o quadro legal prevê a proteção de pessoas com mais de 65 anos, incapacidade superior a 60% e com insuficiência económica.

A nova lei do arrendamento prevê a limitação na atualização das rendas durante cinco anos para agregados familiares com um rendimento anual bruto corrigido inferior a cinco retribuições mínimas nacionais.

Assim, o teto máximo de subida será 25%, enquanto nos casos de rendimentos até 1.500 euros mensais será de 17% e nos de 500 euros mensais de 10%.

Uma das novidades que aí vêm no que toca ao arrendamento é o facto de os senhorios poderem despejar inquilinos por e-mail.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

09
Nov12

Empresários da restauração querem fechar restaurantes dia 19

adm

O Movimento Nacional de Empresários da Restauração (MNER) anunciou esta a realização do «Dia Nacional Sem Restaurantes» para 19 deste mês, como forma de pressionar o Governo a reduzir o IVA para a «taxa mínima».

«Não podemos estar sentados, porque este setor está passar por uma fase crítica», estando «a perder clientes» desde 2008, resumiu o coordenador do MNER, José Pereira, numa conferência efetuada esta tarde no Porto.

A conferência era para ser em Lisboa e em conjunto com a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), mas esta, segundo José Pereira, informou na quinta-feira que tinha decidido suspendê-la. O MNER, contudo, decidiu avançar e realizar um encontro com a comunicação social no Porto.

A Agência Lusa solicitou à AHRESP uma explicação para o que se passou, mas tal não foi ainda possível.

O MNER quer que o IVA para o setor desça dos atuais 23% para 6%, para salvar um setor que, neste momento, «está numa fase de cuidados paliativos», disse ainda José Pereira.

O «Dia Nacional Sem Restaurantes» faz parte de «uma semana de protesto» que irá englobar «centenas de iniciativas» que o movimento tenciona promover pelo país fora e que irá terminar no dia 27, dia em que será votada a proposta final do Orçamento do Estado para 2013.

De 26 para 27, o MNER pretende realizar «outra grande ação», cujos detalhes não foram, porém, divulgados.

O MNER, constituído há três meses, espera assim «sensibilizar os deputados» para os riscos, que em seu entender, ameaçam todo o setor.

«Este setor não pode estar sentado, tem que se levantar. Este último trimestre foi um desastre total em termos de vendas», tendo-se registado «70 a 80% de quebras», continuou José Pereira.

«Voltámos aos anos 50, da marmita», porque a «classe média está falida», considera ainda o coordenador do MNER.

«Temos a certeza absoluta que há deputados que, neste momento, estão com a consciência pesada e sabem perfeitamente que, ao carregarem no botão, vão mandar para o desemprego dezenas de milhares de pessoas e fechar dezenas de milhares de restaurantes», afirmou José Pereira.

Os deputados têm que «ter consciência» que «40 mil vão fechar até ao final deste ano», com uma «quebra acentuada de receitas» para o Estado, e «cerca de 100 mil pessoas deste setor vão para o desemprego» se o IVA continuar nos 23%.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/ 

08
Nov12

Notas de 5 mil escudos trocadas só até ao fim do mês

adm

As antigas notas de cinco mil escudos só podem ser trocadas junto do Banco de Portugal por notas de euros até 30 de Novembro, 20 anos depois de terem saído de circulação, informou nesta quinta-feira o supervisor bancário.

"O dia 30 de Novembro vai marcar o fim do período de 20 anos para a troca das notas de cinco mil escudos, com a efígie do escritor António Sérgio", lê-se na nota do Banco de Portugal.

Estas notas foram lançadas pela primeira vez a 13 de Abril de 1981 e foram retiradas da circulação a 30 de Novembro de 1992.

As notas de escudos poderão ser trocadas nos serviços do Banco de Portugal até 20 anos após terem sido retiradas de circulação, passando a itens de colecção, sem valor comercial, a 1 de Dezembro.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/n


08
Nov12

McDonald's: vendas caem pela primeira vez desde 2003

adm

A cadeia de restauração McDonald's anunciou esta quinta-feira uma quebra nas vendas de 1,8 % em outubro, o que não acontecia desde março de 2003, refletindo o aumento da concorrência e os efeitos da crise económica.

A maior cadeia de fast food do mundo informou que as receitas dos restaurantes abertos há pelo menos 13 meses caíram 1,8% em outubro, o que não acontecia há quase uma década, de acordo com a agência Associated Press.

Em outubro, as vendas caíram 2,2% nos Estados Unidos e na Europa, enquanto na região da Ásia, Médio Oriente e África, cederam 2,4% no mesmo período.

O presidente executivo da McDonald's, Don Thompson, justificou esta queda com «as mudanças do mercado global», adiantando que na Europa, que representa 40% do negócio do grupo, está a preparar o lançamento de novos menus, com maior variedade de preços, para responder às dificuldades económicas.

Já na Ásia, a McDonald's pretende diferenciar-se da concorrência com a oferta de menus adaptados ao gosto local.

Após anos à frente dos rivais, a McDonald's tem vindo a ressentir-se dos ataques da concorrência, como a Burguer King, que tem vindo a investir em campanhas publicitárias, no relançamento de marcas e produtos.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

06
Nov12

Mais de 60% das famílias rendidas à Internet

adm

Sejam jovens ou mais velhos, os portugueses estão cada vez mais rendidos à Internet: 66% das famílias têm acesso a computador em casa, 61% dispõem de ligação à Internet e 60% têm acesso a banda larga, segundo o inquérito à utilização das Tecnologias da Informação relativo a 2012, realizado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

E há uma evolução a registar no que toca às pessoas que usam a Internet em mobilidade, que já são 35% do total das que acedem à rede. Outro indicador importante diz respeito ao consumo eletrónico ¿ 13% já fazem encomendas pela Internet. 

As percentagems não deixam margem para dúvidas: 62% das pessoas entre os 16 e os 74 anos utilizam computador e 60% acedem à Internet. Mesmo entre os jovens com idades entre 10 e 15 anos as TIC encontram-se «largamente» difundidas, uma vez que 98% utilizam computador, 95% acedem à Internet e 93% usam telemóvel. A esmagadora maioria, portanto. Trabalhos de casa, chats, redes sociais, troca de e-mails explicam esta dependência da rede. 

No geral, «de 2008 a 2012 observa-se um crescimento médio anual de cerca de 12% no acesso a banda larga em casa: em 2008 quase 40% das famílias tinham acesso a banda larga, situando-se este tipo de ligação à Internet em 60% em 2012. Para o período considerado, no acesso a computador e à Internet, verificou-se um crescimento médio anual de cerca de 8%, para cada uma das tecnologias», nota o INE.

«Lisboa e a Região Autónoma dos Açores apresentam proporções de famílias com acesso às TIC acima da média do país. Na região de Lisboa 75% das famílias têm acesso a computador em casa e 72% dispõem de acesso à Internet e de ligação através de banda larga; na Região Autónoma dos Açores 67% dispõem de computador e 64% dispõem de ligação à Internet e de banda larga em casa».

Que tipo de ligação preferem os portugueses?

«Destacam-se as ligações por cabo e a ligação móvel de banda larga através de modem USB ou placas de acesso à Internet, referidas respetivamente por 43% e 36% das famílias com acesso à Internet». 

Quanto ao comércio eletrónico, «embora com um nível relativo de utilização mais baixo por parte da população (13%), apresenta uma taxa de crescimento médio anual de 20% no período considerado, verificando-se que entre 2008 e 2012 mais do que duplicou a proporção de pessoas» que o utilizam.

Até aos 44 anos, a utilização destas tecnologias é superior à média nacional. «No que respeita ao computador e à Internet é sobretudo entre os 16 e os 24 anos que se verifica um maior nível de utilização (97% para ambas as tecnologias); enquanto no comércio eletrónico são as pessoas com idade entre 25 e 34 anos quem mais realiza encomendas pela Internet (26%)».

Estudantes e população empregada são os mais ligados.«A quase totalidade de estudantes utiliza computador e Internet e 20% efetuam encomendas pela Internet; 75% da população empregada utiliza computador, 73% acede à Internet e 18% usa a Internet para realizar encomendas». E fazem-no todos os dias ou quase todos os dias, sobretudo em casa e no trabalho. 

«Das pessoas que utilizam Internet, 35% (mais 5 pontos percentuais que em 2011) declaram usar equipamento portátil para aceder à Internet em mobilidade, isto é, fora de casa e do local de trabalho».

O computador portátil é o equipamento mais utilizado (27%). Verifica-se também uma proporção significativa de utilizadores (21%) que usa equipamento de bolso para aceder à Internet em mobilidade, sendo o telemóvel o mais referido. Trocar e-mails (70%), participar em redes sociais (63%), ler ou fazer download de notícias online, jornais ou revistas (54%) são as atividades mais praticadas. 

Quanto às empresas, 91% daquelas que têm 10 ou mais pessoas têm Internet de banda larga e 51% dispõem de ligação móvel.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/m

06
Nov12

Fibra ótica chega às zonas rurais do Norte em 2013

adm

O presidente executivo da DSTelecom anunciou esta terça-feira, em Mogadouro, que 80 % da rede de fibra ótica prevista para as zonas rurais do Norte já está construída e que estará disponível no primeiro semestre de 2013.

Em fevereiro de 2010, a DSTelecom, de Braga, que ganhou os concursos para as redes de nova geração (RNG) das zonas rurais do norte e sul de Portugal, anunciou um investimento de 108 milhões de euros em nove mil quilómetros de fibra ótica.

Hoje, em Mogadouro, o presidente executivo da DSTelecom, Xavier Rodriguez-Martín, disse que este investimento, em 79 concelhos do Norte e do Sul, é «o maior em curso em Portugal no ramo das comunicações e que abrange mais de nove mil quilómetros de cabos de fibra ótica».

Segundo o responsável, nos três primeiros anos do projeto vão ser investidos cerca de 100 milhões de euros, dos quais 56 mil são provenientes de fundos comunitários.

«Esta é uma rede pioneira, já que existem poucas redes rurais de banda larga no mundo e que tem a ver com a utilização de um cabo específico para ser utilizado em zonas de baixa densidade populacional, que poderá ser utilizado para ligar a uma distância de 200 metros até à casa do utilizador», acrescentou.

A DSTelecom acredita que este investimento é o mais utilitário do século XXI e que só pode ser comparado com aquilo que aconteceu no século XX, com a instalação de redes de abastecimento de água e saneamento às populações rurais.

Do montante global, 60% serão investidos na região Norte, abrangendo 44 concelhos das regiões de Trás-os-Montes, Minho, Douro, Cávado, Ave, Tâmega e Sousa, o que corresponde a 13,6% da superfície do país e servirá 4,6% da população (cerca de 450 mil pessoas).

Já no Sul, a empresa vai intervir em 35 concelhos das regiões do Alentejo e Algarve, o que garante uma cobertura de 19% do país e 2,5% da população (cerca de 250 mil pessoas).

No total, são cerca de 20 mil quilómetros quadrados que serão cobertos com este projeto, considerado pioneiro pelos promotores, e vocacionado para a melhoria das condições de vida dos utilizadores de comunicações em regiões do interior.

Os principais objetivos do projeto passam por instalar rede de fibra ótica em zonas rurais, permitir o acesso neutro a operadores, levar a banda larga a localidades de média dimensão, permitir acesso a redes municipais e parceria com projetos de cidades e regiões digitais, entre outras aplicações.

Na região Sul avança-se para a conclusão dos primeiros 45% da rede de banda larga, estando prevista a conclusão deste traçado de fibra ótica para finais de 2013.

Em 2014 e 2015, a empresa prevê o início de uma verdadeira revolução em matéria de telecomunicações no mundo rural.

fonte:;http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

06
Nov12

Rendas até 1966 sobem 5,04%. Posteriores aumentam 3,36%

adm

O Governo já publicou em Diário da República os fatores de correção das rendas antigas para 2013. Assim, as rendas dos contratos anteriores a 1966 aumentarão 5,04% no ano que vem, ao passo que as posteriores a 1967 subirão 3,36%.

Os fatores de correção confirmam os aumentos já esperados, desde que foi publicada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) a taxa de inflação sem habitação nos últimos 12 meses até à data de 31 de Agosto.

Paralelamente, este mês entra em vigor o mecanismo de liberalização das rendas, que deverá levar a aumentos mais acentuados nas rendas mais antigas.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

05
Nov12

Portuguesa inventa aparelho que identifica tipo de sangue em cinco minutos

adm

Uma aluna de Engenharia Biomédica da Universidade do Minho inventou um dispositivo eletrónico portátil capaz de identificar o tipo de sangue em apenas cinco minutos. Ao JN, contou como a ideia lhe valeu um prémio.


Aos 23 anos, Sara Pimenta venceu o primeiro prémio na categoria de Mestrado do Fraunhofer Portugal Challenge 2012 com o trabalho desenvolvido durante o ano de mestrado: um dispositivo portátil que permite identificar o tipo de sangue em apenas cinco minutos. Atualmente, a classificação do tipo sanguíneo demora 30 minutos.

Ao tornar as transfusões sanguíneas mais seguras, o dispositivo permitirá salvar vidas em situações de emergência.

A área de investigação foi proposta a Sara Pimenta pelas orientadoras do mestrado em Engenharia Biomédica, Graça Minas e Filomena Soares.

E durante um ano, Sara Pimenta trabalhou para tornar possível a proposta. O reconhecimento chegou em forma de prémio, no valor de dois mil euros, por parte da Fraunhofer Gesselchaft, a maior organização europeia de investigação aplicada na área das engenharias, que conta com mais de 20 mil investigadores e um orçamento para Investigação & Desenvolvimento de 1,8 mil milhões de euros. "Estou feliz pelo reconhecimento do meu trabalho", disse a jovem investigadora.

Em concurso, estiveram "ideias inovadoras e de utilidade prática com potencial de mercado" de estudantes e investigadores das universidades portuguesas. "Esta distinção foi uma grande surpresa. Passar a primeira das três fases já foi uma enorme surpresa", contou ao JN.

Sara Pimenta sempre quis trabalhar em investigação na área de Engenharia Biomédica e frequenta já o primeiro ano do doutoramento.

O dispositivo continua em desenvolvimento, para integrar, além da identificação do tipo de sangue, outras funcionalidades, como por exemplo o teste de confirmação do tipo de sangue identificado.

fonte:http://www.jn.pt/P


05
Nov12

Estudo: construção deverá cair 9% este ano

adm

A produção da construção vai continuar a cair em 2012, segundo um estudo da consultora DBK, que prevê uma quebra de 9% para este ano e estima que o setor só recupere a partir de 2014.

O estudo, citado pela Lusa, sublinha que a deterioração desta atividade se acentuou em 2011, ano em que se registou uma descida da produção de 9,4%, mantendo-se a tendência de baixa no biénio 2012/2013.

A DBK antecipa também «uma contração significativa» do mercado de construção residencial, baseando-se na quebra no número de licenças concedidas para a construção de novos fogos em 2011 e nos primeiros meses de 2012.

A construção de edifícios diminuiu 10,5% em 2011, sendo a construção residencial o segmento que teve pior desempenho, com uma produção de 4326 milhões de euros, reduzindo a sua quota em 26,9% sobre o total.

A DBK prevê que, em 2012, a construção não residencial registará igualmente uma evolução negativa devido à redução dos novos projetos para edifícios privados.

A atividade de engenharia civil, que caiu 2,2% em 2011 aproximando-se dos 7700 milhões de euros, «será penalizada pelos ajustamentos orçamentais da administração pública».

O estudo salienta que «a curto e médio prazo irá intensificar-se a tendência de internacionalização do setor», apontando o défice de infraestruturas em países em desenvolvimento como uma oportunidade para as construtoras portuguesas.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D