01
Out 11

CGTP/Protestos: Milhares de pessoas desfilam no Porto

Milhares de pessoas participam hoje no Porto na manifestação nacional convocada pela central sindical CGTP contra “o empobrecimento e as injustiças” e em defesa de “melhores salários e emprego”.

Os participantes começaram por se reunir em dois pontos distintos da cidade, na Batalha e nos Leões, e deslocavam-se, cerca das 16:15, em direção à Avenida dos Aliados, onde João Torres, membro da comissão executiva da CGTP, fará um discurso.

Ao longo do percurso, os participantes entoam frases como “Assim não pode ser, trabalhar sem receber”, “O país não se endireita com políticas de direita” e “Assim não vai dar, são sempre os mesmos a pagar”.

São visíveis muitas bandeiras da CGTP, faixas e cartazes de protesto contra as políticas do Governo, nomeadamente contra o corte no subsídio de Natal.

À agência Lusa, um agente da PSP admitiu que a manifestação conte com três mil pessoas até ao momento.

A CGTP convocou para hoje, em Lisboa e no Porto, duas manifestações “contra o empobrecimento e as injustiças”, porque considera que as medidas de austeridade que têm sido impostas aos portugueses levam à recessão económica e, consequentemente, ao aumento do desemprego e da precariedade.

fonte:Lusa

 

publicado por adm às 17:09 | comentar | favorito
01
Out 11

Gás e luz passam a ser taxados a 23% a partir de hoje

As contas da luz e do gás vão ser mais caras  a partir de hoje, com a subida da taxa de IVA de 6 para 23 por cento. 

A medida constava do acordo com a 'troika', mas o Governo decidiu antecipar  a sua aplicação para 01 de outubro para ajudar a colmatar os desvios nas  contas públicas. 

O Governmo estimou, em finais de Agosto, que o desvio da execução orçamental  era de 1,1 por cento do PIB , mas o valor aumentou para 1,5 devido a um  desvio extraordinário e não repetível devido ao Banco Português Negócios  e outras reclassificação de operações de capital. 

Na altura em que foi aprovada o aumento da taxa de IVA, o Governo anunciou  também a criação de um apoio social extraordinário ao consumidor de energia  (ASECE), para reduzir o impacto do aumento de preços da eletricidade e do  gás natural sobre os consumidores economicamente vulneráveis, que permitirá  um desconto de 13,8 por cento aos beneficiários. 

fonte:Lusa

publicado por adm às 17:07 | comentar | favorito