Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Noticias do momento

Noticias do momento

26
Dez11

Já há mais de 5600 casais desempregados

adm

O mercado de trabalho não está a dar tréguas às famílias portuguesas. O número de agregados com ambos os elementos do casal no desemprego não parou de aumentar, desde que o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) começou a recolher estatísticas sobre o tema, há um ano. Em Novembro, havia 5.649 casais naquela situação, o dobro do mesmo mês do ano passado.

O IEFP começou a recolher estatísticas sobre casais desempregados na sequência de um diploma de Maio de 2010, muito por influência do CDS-PP, então na Oposição. Uma das preocupações tinha a ver com as zonas do país em que grande parte dos postos de trabalho estava concentrada num número reduzido de empregadores, e em que o encerramento de uma empresa podia deixar no desemprego vários elementos da mesma família.

Depois de uma actualização da base de dados, o IEFP fez o primeiro levantamento em Outubro do ano passado, tendo apurado a existência 1.530 famílias com ambos os elementos do casal desempregados, sobretudo no Norte do país. E, desde então, o número tem vindo a aumentar. O número de casais desempregados está a subir há cinco meses consecutivos, tendo ultrapassado a barreira dos 5.000 em Outubro passado.

Destruição de emprego

A evolução recente está sobretudo relacionada com a sazonalidade do mercado de trabalho português. Com o fim de muitos trabalhos de Verão, é habitual haver um aumento da taxa de desemprego do país.

Segundo cálculos do SOL com base nos dois últimos inquéritos ao emprego do Instituto Nacional de Estatística, a área de actividade com maior redução de emprego entre o segundo e o terceiro trimestre é a dos serviços de Educação, onde foram eliminados 21 mil empregos. Seguem-se a Construção e a Agricultura, com 14 mil postos eliminados em cada um destes sectores.

As actividades administrativas e de serviços de apoio continuam a mostrar algum dinamismo, uma vez que foram as áreas onde houve mais criação de empregos entre o segundo e o terceiro trimestre (+13 mil).

fonte:http://sol.sapo.pt/i

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D