Aumentos e mais aumentos: o que nos espera em 2012?

Lembramo-nos de poucas coisas positivas do ano que está prestes a acabar e a verdade é que poucas coisas positivas nos esperam no próximo ano, a nível financeiro e a nível económico. Em 2012 o cenário poderá mesmo agravar-se.

Fazendo uma retrospectiva, o ano de 2011 foi o ano da grande crise em Portugal, o ano em que fomos obrigados a pedir ajuda financeira externa. Para além disso, ou mesmo com isso, veio a sobretaxa do IRS que nos levou metade do subsídio de Natal, na Função Pública os salários foram cortados, o crédito às famílias e cortaram salários na função pública¿aperto do credito família s e empresas¿foi um ano de uma lista interminável de medidas de austeridade¿

O ano que começa em menos de uma semana não se avizinha melhor. 2012 vai logo começar mal com o aumento de preços em várias frentes, por exemplo, a electricidade vai aumentar em 4% para a maioria das famílias. Depois temos o aumento da taxa do IVA em produtos alimentares, restauração e bilhetes de espectáculos, por exemplo.

Na saúde, as taxas moderadoras vão ser muito mais elevadas e no que toca aos impostos: a taxa do IVA vai aumentar e haverá menos deduções a partir de 2012, o que vai significar um grande rombo no orçamento das famílias.

Quanto a mais dinheiro disponível, os salários no sector público estão congelados, o salário mínimo não vai aumentar e no que toca ao sector privado, para além de não haver expectativas de subidas nos salários, poderão mesmo registar-se corte de regalias: telemóveis, carros, etc.

No que respeita ao mercado laboral, haverá alterações nas regras de atribuição do subsídio de desemprego, haverá mais meia hora de trabalho e prevê-se ainda menos dias de ferias. No pior de tudo, espera-se um aumento do desemprego.

E estas são apenas as medidas que estão previstas. O que poderá vir aí ainda mais?...

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 11:04 | comentar | favorito