Estado exige que médicos receitem menos medicamentos

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) exige que os hospitais, centros de saúde e unidades de cuidados continuados cortem na prescrição de medicamentos, segundo o Correio da Manhã.

A DGS deu indicações para cortar em despesa desnecessária devido ao contexto de crise. De acordo com a chefe da divisão de Segurança do Doente da DGS, Cristina Costa: "Muitas vezes são os próprios doentes que pressionam os médicos para prescrevem antibióticos, acabando por recorrer a outro médico quando a prescrição não se concretiza".

Segundo dados da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed), no ano de 2009, foram compradas mais de sete milhões de embalagens de antibióticos, o que equivale a uma despesa na ordem do 93 milhões de euros para os portugueses. O Serviço Nacional de Saúde comparticipou com 62 milhões de euros.

Segundo Cristina Costa, falta formação da parte dos médicos, sobre as boas práticas na prescrição destes medicamentos.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 22:13 | comentar | favorito
tags: