PS mais perto do PSD nas intenções de voto

Se as eleições legislativas fossem hoje, o PSD ganharia, mas a distância que o separa do PS é agora mais pequena. O Partido Social Democrata desce três décimas o PS sobe quatro. Está a seis pontos percentuais do principal partido do Governo.

O CDS contabiliza 12,5 por cento das intenções de voto, mais quatro décimas do que no mês anterior. A CDU perde duas décimas conta, agora, com 8,8 por cento, e o Bloco de esquerda soma 6,4 das intenções de voto.

Num mês marcado por descidas, a popularidade dos órgãos de soberania e dos líderes partidários é igualmente afectada. O Presidente da República mantém saldo positivo, mas com a maior queda do mês, 2,9 por cento.

Pedro Passos Coelho perde sete décimas e contabiliza 13,3 por cento. António José Seguro, embora com um saldo próximo do primeiro-ministro, fica-se pelos 12,6 por cento, desce 2,3 por cento em relação ao mês passado.

Paulo Portas é a surpresa do mês de Dezembro. A sua popularidade continua a subir, só sendo ultrapassado pelo Presidente da República.

Jerónimo de Sousa e Francisco Louçã não fogem à tendência, deste final de ano, e perdem popularidade.

Quanto aos órgãos de soberania, o desempenho da Assembleia da República tem saldo positivo, embora inferior ao mês passado. Governo, juízes e Ministério Público têm nota negativa.

FICHA TÉCNICA

Estudo de Opinião efectuado pela Eurosondagem, S.A. para o Expresso, SIC e Rádio Renascença, de 7 a 13 de Dezembro de 2011.

O Universo é a população com 18 anos ou mais, residente em Portugal Continental e habitando em lares com telefone da rede fixa.

A amostra foi estratificada por Região (Norte – 20,4%; A.M. do Porto – 14,3%; Centro – 29,4%; A.M. de Lisboa – 26,0%; Sul – 9,9%), e aleatória no que concerne ao Sexo e Faixa Etária, de onde resultou Feminino (51,6%), Masculino (48,4%) e 18/30 anos (19,0%), 31/59 anos (48,5%) e 60 anos ou mais (32,5%), num total de 1.033 entrevistas telefónicas validadas, que correspondem a uma taxa de resposta de 79,7%.

O objecto da sondagem foi a intenção de voto para eleições legislativas, a actuação de órgãos de soberania e líderes partidários, e questões de âmbito político e social da actualidade.

O resultado projectado da intenção de voto, é calculado mediante um exercício meramente matemático, presumindo que os 22,7% respondentes “Ns/Nr” se abstêm.

O erro máximo da Amostra é de 3,05%, para um grau de probabilidade de 95,0%.

 

O Responsável Técnico da Eurosondagem

Rui Oliveira Costa

fonte:http://sicnoticias.sapo.pt/p

publicado por adm às 08:22 | comentar | favorito
tags: