Mais de sete milhões de portugueses vão ficar isentos de uma parte das taxas moderadoras

Mais de sete milhões de portugueses serão dispensados de algumas taxas moderadoras, de acordo com cálculos do Ministério da Saúde, a que o Diário Económico teve acesso.

A maior fatia de isenções será para as pessoas com insuficiência económica: são perto de 5,2 milhões de pessoas, cujo rendimento mensal não ultrapassa os 628 euros.

A juntar a este grupo, que não terá de pagar qualquer taxa, estão ainda as grávidas (45 mil), as crianças com menos de 12 anos (880 mil) e as pessoas com incapacidade superior a 60% (81 mil). O novo regime de isenções determina ainda que um segundo grupo (com cerca de 183 mil pessoas) fique dispensado de pagar taxas moderadoras só nos centros de saúde. Aqui incluem-se, entre outros, bombeiros e dadores de sangue. Também os doentes crónicos (890 mil) ficam dispensados de pagar taxas pelos cuidados que digam respeito à doença que os afecta.

Recorde-se que o valor das taxas moderadoras nas urgências e nos centros de saúde vai duplicar já a partir do próximo ano. Já as consultas hospitalares da especialidade podem mesmo vir a custar três vezes mais. O Executivo estima arrecadar 199 milhões de euros em taxas moderadoras no próximo ano, praticamente o dobro da receita conseguida actualmente. De acordo com fonte do Ministério da Saúde, haverá menos pessoas a pagar mais.

fonte:http://economico.sapo.pt/n

 

 

 

publicado por adm às 08:28 | comentar | favorito
tags: