Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Noticias do momento

Noticias do momento

30
Nov11

Subsídios: Passos não descarta cortes no privado

adm

Se a economia nacional se comportar pior do que o esperado, o Governo poderá cortar nos subsídios de férias e Natal do sector privado. A medida não foi rejeitada pelo primeiro-ministro, em entrevista esta quarta-feira à noite, à SIC.

Questionado sobre, se o cenário em 2012 for pior do que o esperado, o Governo aplicará uma medida-espelho do corte dos 13ª e 14ª meses da função pública e pensionistas, através da aplicação de um imposto extradordinário nos subsídios do privado, Passos Coelho foi evasivo:

«Temos a noção de que a execução do Orçamento do Estado é crítica para que os resultados que vamos apresentar coloquem Portugal no caminho do crescimento. Claro que há riscos no Orçamento», admitiu o chefe do Governo, acrescentando que «o maior risco é o clima económico», ou seja, «que a taxa dedecrescimento seja de 3%».

«Se isto, por razões externas, não se confirmar e foi pior, logo teremos menos receitas e chegaremos ao final do ano sem cumprir a meta do défice; claro que assim teremos de adoptar mais medidas, mas não julgo que esta não é a altura para as dizer».

No entanto, o primeiro-ministro acrescentou que «com certeza que aplicaremos todos os mecanismos necessários para garantir uma boa execução do lado da despesa». 

Pará já, garantiu Passos Coelho, o Governo vai criar, em Dezembro, «dispositivos que garantam uma maior execução do Orçamento para o próximo ano». 

Já sobre o aumento do IVA, Passos Coelho reiterou a consciência das dificuldades e a protecção dos que têm «rendimentos mais baixos», sublinhando que estas subidas foram destinadas a compensar a «suavização dos cortes do 13º e 14ª meses» no sector público e nas pensões.

E não deixou margem para enganos: «2012 vai ser um ano muito difícil para as pessoas de rendimento intermédio». 

Pedro Passos Coelho admitiu, na mesma entrevista, a aplicação de um plano mais flexível para a banca e rejeitou o fim do euro.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D