Fado é património mundial

O Fado foi declarado pela UNESCO Património Imaterial da Humanidade.

A UNESCO acabou finalmente de reconhecer o fado como Património Imaterial da Humanidade.

A decisão foi tomada pelo VI Comité Inter-Governamental da UNESCO, depois de uma maratona que durou quase 14 horas, em Bali, na Indonésia, para chegar à letra P de Portugal.

Para o fado ter sido declarado Património Imaterial da Humanidade foi preciso preencher cinco critérios, nomeadamente a transmissão de país para filhos, interacção com uma comunidade maior e fazer parte de um inventário.

O fado figura assim ao lado do flamenco (2009) e do tango (2010) como património do mundo. A candidatura começou a ser pensada pelo então presidente da Câmara de Lisboa, Pedro Santana Lopes, e foi hoje defendida com o mesmo empenho por António Costa.

"Muita gente achava que o fado era triste e hoje está numa posição em que o fado é alegria e é o grande momento de prestarmos um tributo a todos aqueles que nos possibilitaram estar hoje aqui, que são os cantores, poetas e compositores, aqueles que têm feito o fado ao longo do tempo", disse António Costa, presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

O Presidente da República também já reagiu ao reconhecimento do fado como património mundial. "Foi com profunda satisfação que tomei conhecimento da decisão. Este reconhecimento constitui um motivo de orgulho para todos os Portugueses: a partir deste momento, o fado é reconhecido como um património de toda a humanidade, um valor inestimável no presente e uma herança cultural importante para as gerações futuras. Quero felicitar todos os que, mais directamente, estiveram envolvidos na preparação, desenvolvimento e divulgação desta candidatura. O seu sucesso é também o sucesso de todos os que, ao longo de mais de um século, viveram, trabalharam, escreveram e cantaram o fado. Estão de parabéns os fadistas, os poetas, os músicos, os compositores, os estudiosos e todos os que contribuíram para fazer do fado uma melodia universal", afirma Cavaco Silva, numa nota publicada no site da Presidência da República. 

fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 17:01 | comentar | favorito