Fitch corta 'rating' de Portugal para lixo

A Fitch baixou hoje a notação da dívida de Portugal. É a segunda agência a fazê-lo no dia de hoje.

A Fitch informou hoje que reduziu o 'rating' de Portugal em um nível, de 'BBB-' para 'BB+', um patamar considerado lixo, no âmbito da revisão do quarto trimestre à notação do País, que se iniciara em Abril, ou seja, ainda antes do pedido de ajuda externa. A agência de notação financeira, a mais pequena das "três grandes", mantém a perspectiva negativa sobre Portugal, o que indicia que pode haver novos cortes no médio prazo.

Uma deterioração da situação económica e um desvio na rota da consolidação orçamental podem conduzir a novo ‘downgrade'. Mas se o programa da ‘troika' for executado com sucesso e daí resultar uma melhoria no crescimento da economia, então a pressão sobre o ‘rating' vai aliviar, explica a Fitch.

Por estar a receber empréstimos da ‘troika', o corte de ‘rating' não terá, no imediato, efeitos directos no custo de financiamento de Portugal. No entanto, se agravar a taxas de juro implícitas no mercado secundário e piorar a credibilidade do País junto dos investidores, será mais difícil a Portugal regressar, como prevê o memorando, sozinho aos mercados em 2013.

A agência de notação financeira justifica, em comunicado, que os desequilíbrios orçamentais, o elevado endividamento em todos os sectores e o cenário macroeconómico adverso não são compatíveis com uma classificação que não seja a de investimento especulativo, isto é, de elevado risco.

A Fitch reconhece "o forte compromisso" do Governo português para com o memorando e diz acreditar que o cumprimento do acordo deixará Portugal "mais competitivo no longo prazo". Ainda assim avisa que "a recessão dos próximos dois anos torna a tarefa do governo de reduzir o défice muito mais desafiante e com impactos negativos na qualidade dos activos da banca".

Nos cálculos da agência de ‘rating', Portugal cumprirá a meta de défice deste ano (-5,9%) e de 2012 (-4,5%), embora no próximo ano "o risco de derrapagem seja grande". Por isso, e também pela situação do sector empresarial do Estado, a Fitch acredita que em 2012 terão de ser tomadas mais medidas de austeridade.

A Fitch reviu ainda em baixa as perspectivas económicas para Portugal, devido à deterioração das perspectivas para a Europa, apontando para uma recessão de 3% do PIB em 2012, em linha com as previsões do Governo e da troika.

Também hoje a agência de notação financeira chinesa Dagong desceu a nota da dívida de Potugal de BBB+ para BB+, com perspetiva negativa.

fonte:http://economico.sapo.pt/

 

publicado por adm às 13:28 | comentar | favorito
tags: