"Ficou-se a saber que a sobretaxa do subsídio de Natal não era necessária"

Em reacção à conferência da 'troika', o PS considera provada a ausência de necessidade da sobretaxa este ano aplicada ao subsídio de Natal.

O PS congratulou-se hoje com a avaliação positiva feita pela ´troika´ ao cumprimento do programa de assistência financeira por Portugal, mas diz estar demonstrada ausência de necessidade da sobretaxa no subsídio de Natal.

A posição dos socialistas foi assumida pelo líder parlamentar, Carlos Zorrinho, em reação às conferências de imprensa do ministro de Estado e das Finanças, Vítor Gaspar, e da ´troika´ (Banco Central Europeu, Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional).

O presidente do Grupo Parlamentar do PS começou por se congratular com a avaliação positiva feita pela ´troika´ em relação ao cumprimento do programa de assistência financeira por parte de Portugal. Depois, Carlos Zorrinho fez várias críticas ao Governo.

"Queremos lembrar que o Governo é o representante de Portugal junto da ´troika´ e não o representante da ´troika´ junto de Portugal. As duas conferências de imprensa [Governo e ´troika´] não deixaram bem marcada essa diferença", sustentou.

O líder da bancada socialista disse ter ouvido a ´troika´ "dizer que é preciso oxigenar a economia e que é preciso que haja justiça social".

"Por isso, sublinhamos que o Governo não tem qualquer justificação na apreciação da ´troika´ para manter a teimosia ao recusar propostas responsáveis do PS, que são neutrais em relação ao valor final do défice este ano e em 2012", disse.

Segundo Carlos Zorrinho, hoje mesmo ficou-se a saber que "a sobretaxa de 50% a aplicar este ano ao subsídio de Natal - medida com um forte impacto recessivo -, não teria sido necessária".

"Portanto, não faz sentido o Governo ir para além da ´troika´, faz antes sentido Portugal ser firme no cumprimento dos objectivos. O PS tudo fará para que Orçamento do Estado para 2012 seja o menos injusto possível", acrescentou.

fonte:http://economico.sapo.pt/

 

publicado por adm às 22:09 | comentar | favorito
tags: