Mais de 85% dos portugueses foram afectados pela crise

Mais de 85% dos portugueses estão a sentir o efeito da crise económica, dos quais metade com um impacto "muito significativo", revela hoje o eurobarómetro "Os europeus e a crise", encomendado pelo Parlamento Europeu.

Quase metade (45%) dos cidadãos da União Europeia (UE) a 27 conhece alguém que perdeu o emprego devido à crise. Em Portugal, 38% dos inquiridos disse conhecer pessoas que ficaram desempregadas como consequência direta da crise.

Mais de um quinto dos europeus afirma ter um familiar que perdeu o emprego. Em Portugal, esta percentagem sobe para 28 %. Mas, em 18% dos casos a perda do emprego aconteceu com os próprios ou com o parceiro (na UE a 27 é de 12 por cento). 

O estudo adianta que cerca de dois terços dos inquiridos consideram que "a crise vai durar muitos anos" e ninguém concorda com a ideia que Portugal "já está a regressar ao crescimento", contrariamente ao que acham 8% dos europeus.

Mais de metade (56%) dos portugueses considera que os cidadãos estariam mais protegidos face à actual crise se Portugal adoptasse medidas e as aplicasse de forma coordenada com outros países da UE, em linha com o que pensam o resto dos europeus.

O eurobarómetro revela que mais de 70% dos portugueses defende que as instituições europeias deveriam ser consultadas para a elaboração dos orçamentos nacionais, enquanto dois terços concordam com a aplicação automática de sanções financeiras aos Estados-membros que entrem em incumprimento nas metas do défice e dívida pública. 

No que respeita aos termos económicos, 51% dos portugueses disse já ter ouvido falar nas agências de notação financeira, mas só 19% sabe o que são. Mais de metade (59%) considera que as agências de 'rating' têm desempenhado um papel importante no desenvolvimento da crise financeira.

O inquérito foi realizado entre 3 e 18 de Setembro deste ano a um total de 1.035 portugueses, num universo de 26.856 europeus com mais de 15 anos, através de entrevistas directas pessoais.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt

publicado por adm às 19:57 | comentar | favorito
tags: