Portugal vai ter de tomar medidas adicionais para 2013, diz Durão Barroso

O presidente da Comissão Europeia considera que a alternativa à austeridade seria ”o desastre”.

José Manuel Durão Barroso falava à margem da conferência "O Ensino Superior na ‘Estratégia 2020' da União Europeia", na Universidade de Lisboa. Para 2013, Portugal vai ter de tomar medidas adicionais.

"A previsão divulgada ontem pela Comissão Europeia mostra que podemos, já em 2013, ter um crescimento positivo, isto é, valores positivos para a economia portuguesa", afirmou Durão Barroso.

"Mas, até meados do ano que vem, a situação será sem dúvida negativa porque, quando um país vive muito tempo acima das suas possibilidades, com um endividamento excessivo, depois tem de fazer um ajustamento", disse. Este ajustamento pode ser "inevitável", mas "é inevitável e, se não houvesse a União Europeia e o programa que estamos neste momento a desenvolver, a situação podia ser verdadeiramente catastrófica porque não haveria condições para Portugal se financiar", afirmou Durão Barroso. Aí, Portugal não conseguiria "pagar o funcionamento do Estado", acrecentou.

"Este programa é muito difícil mas a alternativa seria o desastre", sustentou Durão Barroso. No entanto, "a Comissão considera que Portugal vai cumprir os objectivos a que se comprometeu para este ano e para 2012, o que é muito positivo".

Já para 2013, "exprimimos ainda a necessidade de haver provavelmente medidas adicionais porque a projecção da Comissão é feita assumindo que não haverá qualquer mudança de política", explicou Durão Barroso. Portugal, porém, terá de fazer "mudanças" para chegar à meta de 2013.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 00:01 | comentar | favorito
tags: