Renegociação dos contratos pode valer mil milhões

Novo estudo da KPMG aponta benefícios para o Estado que podem chegar a 1.900 milhões.

O impacto da renegociação dos contratos entre o Estado e os privados relativos a seis concessionárias rodoviárias - quatro delas SCUT (sem cobrança ao utilizador) - terá sido positivo em mais de mil milhões de euros para o Estado e para a Estradas de Portugal (EP), segundo um estudo da consultora internacional KPMG, a que o Diário Económico teve acesso. Este saldo consiste no diferencial resultante da diferença entre o potencial de receitas de portagens futuras e os encargos de disponibilidade futuros, deduzidos dos encargos com as SCUT, que vão deixar de existir.

A renegociação dos contratos destas concessões rodoviárias tem sido debatida na Comissão Parlamentar de Economia e Obras Públicas, que hoje realizará nova sessão, com as audições de responsáveis da KPMG e do secretário de Estado das Obras Públicas, Sérgio Monteiro da Silva.

A KPMG, que é consultora financeira da EP desde 2001, viu-se envolvida numa polémica sobre um outro estudo, divulgado na semana passada pelo Diário Económico e na própria Comissão Parlamentar de Obras Públicas pelo ex-secretário de Estado da tutela, Paulo Campos. Numa carta endereçada ao presidente da Comissão, um administrador da consultora, Paulo Santos, acusou o ex-governante de "utilização indevida da imagem e nome da KPMG". Paulo Campos refutou a acusação e o PS chamou hoje ao Parlamento os responsáveis da KPMG.

fonte:http://economico.sapo.pt

publicado por adm às 08:23 | comentar | favorito
tags: