Poupe 2.100 euros nos impostos

Este será o último ano para aproveitar as deduções de IRS tal como as conhece até aqui.

Falta pouco para o ano terminar, pelo que se deve recolher o máximo de facturas que se puder das despesas de saúde, educação, casa, etc. É que o Orçamento do Estado para 2012 introduz grandes alterações nos montantes que poderá deduzir. No final, o contribuinte poderá deduzir um montante menor, pagando mais imposto ou recebendo menos de reembolso. Saiba então o que pode deduzir aos rendimentos deste ano.

No final, poderá deduzir um montante máximo de 2.100 euros, entre deduções e benefícios fiscais. Na saúde, por exemplo, podem deduzir-se 30% das despesas realizadas sem qualquer limite de montante. No próximo ano já não será assim: as deduções foram limitadas a 10% até um tecto de 838,44 euros. Na educação podem deduzir-se as despesas com a escola dos filhos ou com a própria formação em 30% até um limite de 760 euros.

No caso das despesas com a casa, o contribuinte poderá deduzir na declaração a entregar em 2012, 30% dos gatos com juros e amortizações e rendas até um limite de 591 euros. Este montante será majorado até 886,5 euros para contribuintes com rendimentos até 7.410 euros por ano. É neste capítulo que se dão as maiores alterações no próximo ano (para as declarações a entregar em 2013). É que as amortizações deixam de ser dedutíveis e os juros continuam a sê-lo mas apenas para os contratos de compra e venda celebrados até 31 de Dezembro de 2011. A dedução será de apenas 15%_até um limite de 591 euros. Os novos contratos deixarão de poder fazer deduções. Já as rendas poderão continuar a fazer as suas deduções (respeitando aqueles limites), quer se tratem de contratos novos ou antigos.

Os benefícios fiscais também tiveram alterações. O anterior Governo introduziu tectos globais aos montantes de que os contribuintes podiam usufruir. Estes limites variam consoante os rendimentos e oscilam entre os 100 euros para o terceiro escalão e os 50 euros para quem ganhe entre 66 mil e 153,3 mil euros. Acima desse valor não há direito a benefícios fiscais.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 22:50 | favorito
tags: