Médicos prometem “medidas reivindicativas”

A Ordem dos Médicos e os dois sindicatos dizem que as medidas do OE/12 são “gravosas” e que a situação é “preocupante”.

A Ordem dos Médicos, o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) e a Federação Nacional dos Médicos (FNAM) prometeram hoje adoptar "as adequadas medidas reivindicativas em função da gravidade da situação, nomeadamente as que venham a decorrer da aprovação do restritivo Orçamento do Estado para 2012".

Os três organismos reuniram-se para discutir as medidas inscritas no Orçamento do Estado para a área da saúde e que apelidam de "gravosas" e "sem precedentes", concluindo que "conduzirão a uma profunda instabilidade de funcionamento das unidades de saúde e a consequências nefastas para a qualidade da prestação dos cuidados de saúde".

Os médicos contestam a prescrição de medicamentos por substância e não por marca, um diploma que foi hoje aprovado no Parlamento. Apesar de manifestarem o "inequívoco apoio à prescrição de medicamentos genéricos", os organismos que reapresentam os médicos mostram preocupação "pela abusiva troca da medicação prescrita no balcão da farmácia".

As novas regras das remunerações dos médicos em contrato individual de trabalho, inscritas no OE/12 são outro ponto de contestação. "Ao serem suspensos os instrumentos de regulamentação colectiva do trabalho, com a consequente aplicação da legislação geral, deixam de estar asseguradas as condições para a manutenção da grande maioria dos serviços de urgência", pode ler-se num comunicado enviado às redacções.

fonte:http://economico.sapo.pt/

 

publicado por adm às 22:58 | favorito
tags: