Passos vê como inevitável redução de salários no sector privado

O primeiro-ministro afirmou hoje que para a economia voltar a crescer o desemprego no privado vai aumentar e os salários vão descer.

Pedro Passos Coelho afirmou hoje no Congresso de Economistas que a "racionalização de custos no sector privado significará em muitos casos um aumento do desemprego, a redução de salários" e defendeu que este é o caminho que "teremos de fazer" se quisermos "ultrapassar a crise económica e lançar as bases do crescimento futuro".

"Sabemos que a racionalização de custos no sector privado significará em muitos casos um aumento do desemprego, a redução de salários, ou de outras compensações como o bónus, benefícios e prémios de desempenho. Sabemos que significará em muitos casos a redução dos lucros, e portanto dos lucros distribuídos. É o que farão os nossos competidores internacionais. Teremos de fazer o mesmo se quisermos ultrapassar a crise económica e lançar as bases do crescimento futuro", afirmou hoje o primeiro-ministro no encerramento de uma conferência na ordem dos economistas.

Passos Coelho acrescentou que "os sacrifícios associados à redução de custos operacionais no sector privado terão de servir para melhorar a competitividade das nossas empresas. O que vale por dizer que não devem estar ao serviço do esforço de consolidação orçamental, mas do crescimento económico".

Assim, e em jeito de recado ao Presidente da república - que na passada quarta-feira defendeu que os cortes aplicados apenas nos subsídios de ferias e natal dos funcionários públicos opunham em causa a "equidade fiscal" - o primeiro-ministro afirmou "Seria tão injusto quanto imprudente fazer a consolidação orçamental que não predominantemente pelo lado da despesa".

fonte:http://economico.sapo.pt/

 

publicado por adm às 22:45 | comentar | favorito
tags: