Sindicato da Construção ameaça com maior luta de sempre

O Sindicato da Construção de Portugal está contra a suspensão do troço da Autoestrada Transmontana.

Durante uma conferência de imprensa, o presidente do sindicato, Albano Ribeiro, salientou que "o Governo está numa direcção de ser responsabilizado pela maior crise de sempre no sector", estando 20 mil postos de trabalho em risco no curto prazo, ao que acrescem os 150 mil que o dirigente da estrutura afecta à CGTP diz já terem sido perdidos nos últimos anos.

Apesar de as obras no Túnel do Marão estarem suspensas desde 27 de Junho, não há indicações de que as obras na Autoestrada Transmontana, entre Vila Real e Bragança, venham a ser paradas, ainda que o Governo tenha anunciado a revisão dos contratos das concessões rodoviárias no âmbito do Plano Estratégico de Transportes.

Albano Ribeiro indicou que através de projectos nas áreas do saneamento básico, da requalificação das estradas secundárias e da reabilitação urbana seria possível aumentar os postos de trabalho a nível nacional na construção em cerca de 120 mil, num sector que emprega, directa e indirectamente, 800 mil pessoas.

O presidente do Sindicato da Construção de Portugal disse que na próxima sexta-feira vão ter reuniões com as administrações da Somague e da Soares da Costa, duas das grandes construtoras que planeiam cortes nas suas estruturas.

Através da Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário, com assento em sede de concertação social, vai também ser pedida uma reunião ao Governo para sensibilizar o Executivo da situação actual.

fonte:http://economico.sapo.pt/n

 

publicado por adm às 22:35 | comentar | favorito
tags: